Pensando em mudar para 2 x 10, 1×11, 1×12?

Que tal a sua próxima bike ter o que há em state-of-the-art em transmissão?

Update: A SRAM tem, atualmente, disponível os grupos 1×12 NX Eagle (cassete 11-50) e o GX Eagle (cassete 10-50). A Shimano tem disponível em 1×12 o grupo XTR M9100, disponível com cassetes 10-45 e 10-51. Onde estará o limite? Continue lendo “Pensando em mudar para 2 x 10, 1×11, 1×12?”

Anúncios

Dicas para comprar uma bike intermediária

Post atualizado! Quase toda semana alguém me liga ou escreve com dúvidas sobre grupos, marcas, suspensões, garantia e tudo mais. Concordo: para um leigo – mesmo leigos que já pedalam – comprar uma bike é complicado, sim.

São tantas marcas, modelos, materiais, preços e nuances que quem não está pesquisando diariamente acaba se perdendo. Esse post, longe de pretender ser definitivo, é uma ajuda para quem quer compreender melhor o que está comprando. E, não esqueçam: é a minha opinião.

Continue lendo “Dicas para comprar uma bike intermediária”

Freios a Disco e Vbrakes

Hoje falarei sobre freios. Uma dúvida recorrente é sobre a vantagem de freios a disco sobre V-brakes.

Nesse primeiro ponto a discutir, há que se levar em consideração o uso que o ciclista fará. Em mountain bike, a possibilidade de impactos e empeno nas rodas é bem maior que em uso estritamente urbano. A possibilidade de pedalar em estradas com lama, e mesmo em encarar uma chuva – sem possibilidade de abrigo – é grande.
Continue lendo “Freios a Disco e Vbrakes”

Limpando a bike depois de uma trilha

Ontem voltei de uma trilha que, se tinha alguma lama, o terreno molhado não deixou a bike muito suja não.
Mas era preciso dar uma geral… então fiz o básico:

1) Lavei os pneus com desengraxante (detergente comum também serve, ou sabão em pó) e uma escova média (do tamanho de uma mão, mais ou menos).
2) Depois de molhar para dissolver a lama seca lavei o quadro com o mesmo produto e uma esponja macia.
Continue lendo “Limpando a bike depois de uma trilha”

O Movimento Central

O movimento central é, simplificadamente, o eixo que une as duas pedivelas (braços onde se encaixam os pedais). Ele recebe a grande carga do movimento da pedalada, e se não for de boa qualidade pode apresentar folgas com o passar do tempo.

A peça basicamente consiste de um eixo, rolamentos e um encaixe para as pedivelas. Existem vários tipos no mercado, mas os mais comuns para MTB são:
Continue lendo “O Movimento Central”

WordPress.com.

Acima ↑