O Chainsuck

Recebi vários emails perguntando o significado do termo chainsuck, que usei no post sobre os lubrificantes Finish Line.

Para começo de conversa, o chainsuck não é para ocorrer. Se aconteceu, algo está errado.

O excesso de lama, corrente, coroa ou pinhões desgastados podem contribuir para o evento, e o resultado pode ser ou um quadro seriamente arranhado ou uma corrente estourada.

Continue lendo “O Chainsuck”

Anúncios

Limpando a bike depois de uma trilha

Ontem voltei de uma trilha que, se tinha alguma lama, o terreno molhado não deixou a bike muito suja não.
Mas era preciso dar uma geral… então fiz o básico:

1) Lavei os pneus com desengraxante (detergente comum também serve, ou sabão em pó) e uma escova média (do tamanho de uma mão, mais ou menos).
2) Depois de molhar para dissolver a lama seca lavei o quadro com o mesmo produto e uma esponja macia.
Continue lendo “Limpando a bike depois de uma trilha”

Quando quebra a corrente

Esta não é uma situação muito comum no ciclismo (mesmo no MTB). Claro, na bike tudo é passível de quebrar, mas uma corrente em bom estado não quebra assim. Mas, acontecer, acontece. Então, o que fazer?

Vamos por partes: primeiro, a corrente tem que ser checada regularmente em relação ao seu desgaste.
Segundo Sheldon Brown, em 12 links da corrente (um link é a soma de um elo externo + um interno), de rebite a rebite, a distância deve ser de 12 polegadas.

Continue lendo “Quando quebra a corrente”

Lavagem da bike

Um amigo me mandou um email questionando se poderia lavar a sua bike, pois fora informado numa bike shop “que não é muito bom lavar a bike com frequência, pois poderia entrar água e tal“.
Pela utilidade pública do assunto, posto aqui a resposta (levemente editada) que lhe mandei:

Em relação a lavar a bike…

Bike não é de papel nem de açucar 🙂
Continue lendo “Lavagem da bike”

WordPress.com.

Acima ↑