Pensando em mudar para 2 x 10?

E achando que vai por na sua bike o que há de state-of-the-art em transmissão? Errou.

A SRAM sai na frente, de novo, e acaba de lançar, pasmem, o XX1!. É… isso mesmo que você está pensando. 1 x 11, ou, uma coroa e onze catracas no cassete.

Claro, todos sabemos que o câmbio dianteiro é menos preciso. O seu acionamento sempre foi mais grosseiro (e isso se acentua mais ainda pois, negligenciado que é por não precisar de tantas mudanças, as montadoras acabam sempre colocando-o de uma linha inferior), longe da suavidade da passagem de marchas dos X-Glides da vida.

Assim, algo como dois anos atrás, surgiu o SRAM XX – sistema com duas coroas e dez catracas. Prontamente adotado pelas bikes tops, hoje é complicado você comprar uma bike de carbono com 3 coroas.

Se é uma melhor opção, vai depender do ciclista. Tem muito trail biker bem preparado que jura pela sua coroinha, e não larga 3 x 10 nem por decreto. Quem pedalou com 2 X 10, e tem pernas para isso, não quer ouvir falar de outra coisa.

O fato é que o 2x 10 tem mesmo uma relação mais inteligente. Com os cruzamentos de marchas do 3×10 e mesmo do 3×9, as relações se repetem: uma combinação Coroa x catraca 32 x 16 rende exatametne o mesmo que uma 42 x 21 ou uma 22 x 11 (que não se usa por causa do cruzamento). Assim, no sistema 20v se tem 20 marchas utilizáveis contra 22 marchas utilizáveis do sistema 30v (seja por causa do cruzamento, seja por causa da correspondência citada acima). O acionamento do 2×10 é muito mais suave, e a troca de coroas, rapidíssima.

Ressalte-se que o sistema 2 x 10 (em comparação ao 3 x 10) não resulta da simples retirada de uma coroa. Enquanto uma pedivela de 3 coroas tem relação (em dentes) 44-32-22, um sistema de duas coroas pode ter, por exemplo uma coroa de 39-26 ou 42-28, e isso muda tudo.

Para os pros, no entanto, as duas coroas não são assim tããão necessárias. É nesse conceito, aliada à simplicidade – puxa, você só terá de trocar as catracas – que se baseia o XX1. Menos um câmbio para regular, nada de cruzamento de marchas, um chainline mais homogêneno. Mas, e a versatilidade? Dá para dar um salto grande em potência derrubando uma coroa… bom, a SRAM deve ter pensado nisso.

Observe a discrepância entre a maior catraca e a coroa instalada no pedivela.

O sistema – extremamente estável, mesmo com grandes impactos o câmbio não se mexe – tem um cassete monstro de 11V/10-42… isso mesmo: a maior catraca é do tamanho do patrão, como chamamos a maior coroa, de muitos pedivelas de MTB por aí. Mas no vídeo aí embaixo vemos um monte de opções de coroas disponíveis (28-30-34-36-38)… o que é muitíssimo legal para quem vai correr numa pista conhecida e tem mecânicos para trocar a coroa e por a mais adequada ao traçado mas… e para o cara que vai fazer uma trilha exploratória? Rola?

O vídeo é impressionante. Muito bem produzido e explicado, mesmo que você não entenda inglês, vale a pena assistir. Como pensamento final, não entendi porque só colocaram gente descendo. Mas tô doido para testar.

Você gostou deste post? Quer dar uma força ao blog? Compartilhe no facebook, twitter, google+. Use os ícones lá embaixo. Não custa nada e ajuda muito à gente. Valeu.

Posts relacionados

Conhecendo a sua bike – 2×10 ou 3×10
As tecnologias Shimano Shadow e DynaSys
Sram X0 / X9

Anúncios

Publicado em 06/07/2012, em Novidades na mídia, Reviews e marcado como , , , , , . Adicione o link aos favoritos. 16 Comentários.

  1. Gláucio Theodoro

    Pô, agora que eu estava começando a comprar as peças para mudar pra 2×10… rsrs. Mas eu gostei disso aí também, a dúvida é com relação ao chainline, será que algumas marchas não ficarão com a corrente muito cruzada? E tomara que esse lançamento faça com que o preço das peças 2×10 diminua.

    • Acho que o reposicionamento da coroa única vai proporcionar um chainline mais homogêneo. E acho que devia ser mais barato; não tem nem trocador esquerdo nem cambio dianteiro nem duas coroas! 😀

  2. Acho que será muito interessante para o tipo de terreno mostrado. Agora, prá turma que gosta de usar sua MTB para toda e qualquer situação como percorrer longas distâncias em estradões de terra batida e asfalto aonde, algumas vezes, a coroa de 44 já não satisfaz, talvez não seja a melhor opção.

  3. Luiz Marcelo

    O que significa chainline? E em relação às trocas com tantas catracas diferentes na numeração, as trocas não ficam muito espaçadas?

    • Oi Luiz Marcelo! Chainline é a linha que a corrente faz entre as coroas e catracas. Quanto mais paralela ao chainstay (parte do quadro que liga a roda traseira ao central) melhor, pois força menos a transmissão (engrenagens e corrente). Por exemplo: usar a marcha mais pesada (coroa grande e catraca pequena) resulta num chainline linear, que força pouco o sistema. Cruzando as marchas, como quando se usa a coroa grande e a catraca grande também, o chainline fica muito inclinado, forcando a transmissão e podendo de alguma forma tornar as mudanças de marchas ineficientes.
      Não analisei os dentes do sistema 1×11, então não posso avaliar o gap (diferença) de uma catraca pra outra. Se for grande, talvez dificulte mesmo; mas a eliminação das mudanças nas coroas provavelmente compensará isso. De qualquer forma, como é um sistema desenhado para alta performance, a SRAM deve ter avaliado isso e visto alguma vantagem. Porém, sem testar, é impossível dizer com certeza

  4. Bruno Andrade

    Saberia me dizer se posso converter meu pedivela Deore (44,32,22) com coroas 36,26? é só comprar as coroas 36 (BCD 104mm), 26 (BCT 64mm) e trocar?! precisa-se fazer alguma adaptação!?
    Ja tenho os trocadores XT que servem para 2×10, cassete Deore 10v e cambio traseiro Deore 10v).
    Abraço! (e desde já, agradeço novamente a consultoria!)

    • Bruno, em tese é possível, o pessoal faz, mas tenho certeza que não fica a mesma coisa. Se fosse eu comprava um pedivela especifico. Mesmo que de uma linha inferior a XT (SLX ou até mesmo Deore).
      Mas tem uns tópicos no pedal.com sobre isso. Veja esses links: http://bit.ly/NWHKlihttp://bit.ly/Ol2S4z. São bem legais, e você vê que a discussão é extensa e que não há consenso (mas em fórum é assim mesmo, rs).
      Abração!

      • Bruno Andrade

        Ô garoto!… vou começar a pagar uma mensalidade aqui! rsrsrsrsrsrsrs (pelo amor de deus nao leva isso a serio!) Abraço véi!

  5. Luiz Marcelo

    Pelo que tou vendo, esse 1×11 limita mais ainda pela capacidade do atleta… Pois quando andei de 2×10 percebi que se o terreno inclinar muito pra cima ou pra baixo só se tiver muita perna pra fazer força pra cima ou velocidade pra girar rápido…. Então, quanto menos marchas tem que ter mais piloto kkkk não é isso? Abraços!

  6. Luis marcelo

    Olá, saiu a composição das catracas do 1×11 e as diferenças de dentes entre as catracas maiores são de até 4 dentes…. Sera q isso nao vai perder as eficiencias nas Trocas? Abc

    • Oi Luiz! É, rapaz, realmente. De qualquer forma creio que 1×11 é a relação restrita a atletas (de ponta?), e essa questão no fim das contas acaba sendo acadêmica…

%d blogueiros gostam disto: