Lance Armstrong Banido do Triathlon

A USADA – Agência Anti-doping Americana – liberou um documento, no último dia 12, acusando formalmente Lance Armstrong do uso de substâncias proibidas, que foram encontradas em amostras colhidas em 2009 e 2010. As amostras, segundo a USADA, são “totalmente consistentes com a manipulação de sangue, incluindo o uso de Eritropoietina (EPO) e transfusões sanguíneas“.

No documento originalmente enviado a dez pessoas e agora tornado público, a USADA acusa Lance Armstrong do uso de EPO, transfusões sanguíneas, testosterona, corticosteróides e agentes mascarantes.

Como resultado imediato, a USADA baniu o atleta – 7 vezes campeão do Tour de France e que acabou de vencer o Ironman 70.3 na Flórida – de competições de triathlon, que se tornaram seu foco desde que abandonou o ciclismo de estrada. A UCI – União Ciclística Internacional, órgão máximo do ciclismo no mundo – ao ser questionada sobre o fato, declarou não estar a par das informações relativas ao caso, nem envolvida no processo desenvolvido pela Agência Anti-doping Americana. A UCI, que tradicionalmente tem ficado ao lado de Lance em situações semelhantes, declarou ainda que não se manifestará publicamente sobre este caso, pelo menos neste momento.

Será o fim da carreira de Lance Armstrong no triathlon, ou o começo de mais uma luta e uma vitória no final?

Não é a primeira vez que Lance é acusado de doping. Durante toda a sua carreira, ganhando inúmeras provas no ciclismo de estrada, Armstrong teve sua longa série de vitórias colocada sob suspeita de uso de substâncias proibidas. Contudo, nunca nada conseguiu ser efetivamente provado contra ele. Porém, com a USADA, a situação pode ser diferente. A Agência, fundada há 12 anos pelo Comitê Olímpico dos Estados Unidos e pelo Governo Federal Americano raramente perde algum caso em que se envolve, embora poucos atletas por ela punidos tenha o status de herói nacional de Lance Armstrong. Do lado de Lance, há que se ressaltar que a Procuradoria Federal dos Estados Unidos retirou, em fevereiro deste ano, quaisquer acusações relativas a supostos casos de doping relacionados a ele. Não esqueçamos, contudo, que a USADA é um organismo independente, e embora não tenha o poder de determinar ou abrir investigações criminais, é soberana no sentido de punir atletas no âmbito estritamente esportivo. É importante lembrar, ainda, que o doping não é um crime federal nos Estados Unidos, e que estava sendo investigado por suas implicações contratuais com um dos patrocinadores da equipe de Lance à época (US Postal Service) e por acusações de tráfico, armazenamento e venda de substâncias proibidas. A USADA declarou, na época, que as acusações (da agência) não estavam relacionadas a acusações criminais, que o objetivo era simplesmente “proteger a lisura do esporte” e que as investigações prosseguiriam.

Lance Armstrong declarou, imediatamente ao receber a informação sobre a punição:

“Fui notificado que a USADA, uma organização em grande parte financiado pelo dinheiro do contribuinte, mas regida apenas por regras escritas por ela própria, pretende novamente trazer à tona alegações desacreditadas que datam mais de 16 anos para me impedir de competir como um triatleta e tentar me tirar das sete vitórias do Tour de France que eu ganhei. Estas são as mesmas acusações e as mesmas testemunhas que o Departamento de Justiça optou por não levar adiante, após uma investigação de dois anos. Essas acusações são infundadas, motivadas por despeito e que foram para a frente através do testemunho comprado e pago por promessas de anonimato e imunidade. Embora a USADA alegue uma conspiração abrangente que se estendeu por mais de 16 anos, eu sou o único atleta que ela escolheu para acusar. A maldade da USADA, seus métodos, suas práticas, e sua decisão de punir primeiro e julgar depois, tudo está em desacordo com os nossos ideais de justiça e fair-play. Eu nunca me dopei, e, ao contrário de muitos dos meus acusadores, competi como um atleta de resistência por 25 anos sem aumento no desempenho, passei por mais de 500 testes de drogas e nunca falhei em nenhum. Que a USADA ignore este fato fundamental e me acuse ao invés de acusar dopados confessos diz muito mais sobre USADA, sua falta de lealdade e seu sentimento de vingança do que sobre a minha culpa ou inocência”.

Além de ciclista de estrada e de ser um triatleta de sucesso, Lance ganhou também a Leadville 100 de 2009, uma das mais duras competições de Mountain Bike do mundo.

O uso de substâncias proibidas é, como todos sabem, recorrente no esporte de alto nível. A cada novo teste desenvolvido para detectar quantidades infinitesimais de substâncias ou processos destinados a melhorar ilegalmente a performance de atletas surge uma nova maneira destinada a mascarar seu uso. No ciclismo, um esporte que, pelas suas peculiaridades, necessita de uma combinação máxima de força, explosão e endurance, não é diferente, e inúmeros casos de doping surgem a cada ano, maculando a carreira de atletas praticamente invencíveis. Alberto Contador, que havia sido testado positivo para a substância Clembuterol (durante o Tour de France de 2010 e do Giro D’Italia de 2011) e alegado contaminação pela substância em carne consumida durante uma viagem, foi condenado pela TAS (Corte Arbitral do Esporte) a dois anos de suspensão, o que o impediu, este ano, de participar do Tour de France e dos jogos olímpicos de Londres. Contador, que foi campeão do Tour de France de 2007, 2009 e 2010 e do Giro D’Italia de 2011 perdeu os seus dois últimos títulos (do Tour/2010 e do Giro/2011) para, respectivamente, o ciclista Luxemburguês Andy Schleck e para o Italiano Michele Scarponi.

Alberto Contador, bi-campeão do Tour de France.

Embora tenha declarado que se aposentaria do ciclismo se fosse condenado, como a punição começa a contar da detecção da substância no exame anti-doping (portanto, em Julho/2010, no Tour), Alberto Contador estará liberado para correr a partir de agosto (após as olimpíadas) e se prevê a sua participação na Vuelta a España. Para Lance Armstrong, a consequência imediata será o impedimento de competir na próxima etapa do Mundial de Triathlon, em Nice (França) já que a WTC (World Triathlon Corporation) impede a participação de atletas sob investigação.

Gostou deste post? Clique no “Gosto” aí embaixo!

Posts relacionados:
Quem ganhará a próxima Leadville 100?
Um ciclista completo
As Ultramaratonas

Anúncios

Publicado em 14/06/2012, em Novidades na mídia e marcado como , , , . Adicione o link aos favoritos. Comentários desativados em Lance Armstrong Banido do Triathlon.

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: