Bombas – Seus pneus sempre cheios

Esse é um equipamento especial. Nenhum ciclista pode deixar de ter. Seja uma bombinha portátil, seja uma bomba de pé, ela é indispensável.

Tolice pensar que você não vai furar pneu, ou que vai ser perto de uma borracharia… ou que o parceiro de pedal vai ter uma bomba de bobeira. Claro, uma câmara de reserva é indispensável, e um kit de remendos, também. Mas sem a bomba, infelizmente você não conseguirá encher o pneu soprando. A bomba do parceiro pode ser só para válvulas Schrader, e a sua pode ser Presta ou vice-versa. A bomba do parceiro pode quebrar.

E nunca é demais avisar: Evite calibrar seu pneu em postos de gasolina. A bomba de posto é desenhada para altos volumes de ar, então se você colocar lá 45 libras assim que conectar a mangueira na válvula a bomba enviará uma tremenda quantidade de ar para encher o pneu e chegar nessa pressão, podendo ocorrer então uma explosão do pneu da bike.

Itens indispensáveis – além da bomba, é claro: Câmara reserva e kit remendo.

Para você saber quanto de ar por no pneu você deve olhar na lateral do mesmo. A medida está em PSI (Libras por polegada quadrada) ou BAR. São escalas diferentes de pressão; aqui no Brasil manômetros em PSI são mais comuns. E para saber quanto você pôs, a bomba deve ter um manômetro ou você deve ter um calibrador.

Na lateral do pneu, em geral está gravada a pressão mínima com que você pode rodar, ou a pressão máxima de trabalho (no caso deste pneu, a pressão máxima seria 55 PSI ou 4 BAR).

Então, para não deixar nada ao acaso, faça esse investimento. Aqui vamos detalhar algumas características que a experiência nos mostrou ser importante na escolha da dita cuja.

1. A bomba deve reconhecer automaticamente o tipo do bico (grosso ou fino). Alternativamente, ela pode ser capaz de encher os dois tipos de válvulas com uma manobra no bico, mas as automáticas são mais práticas.

2. As bombas de bolso – assim chamadas porque cabem no bolso da camisa – de preferência devem ter uma mangueira extensível, como as AirRace ou alguns modelos Topeak. Isso ajuda a não forçar a válvula com o movimento de bombear, evitando um dano desagradável à câmara.

3. A bomba de bolso pode ter dois estágios. Ou seja, o segundo estágio permite um maior fluxo de ar a cada bombeamento. Você pode usar só o primeiro estágio, se precisar de menos volume, ou os dois estágios se quiser encher um pneu vazio.

4. Apesar de muitas bombas virem com suporte para isso, não é recomendável andar com a bomba presa no quadro. Areia, água e lama podem danificar o bico, tornando a bomba imprestável exatamente quando você mais precisar dela. Se você usa mochila de hidratação, esse é o lugar certo. Ou, se não usa, leve no bolso da camisa (apesar de machucar no caso de uma queda).

5. Bombinhas de cartuchos de CO2 podem ser uma ajuda incrível em situações emergenciais. Mas, se você usa selante, se certifique de assim que possível esvaziar o CO2 e encher o pneu novamente com ar atmosférico, já que o CO2 danifica a maioria dos selantes. Se for sua única opção leve pelo menos 3 cartuchos de reserva.

As utilíssimas em emergência bombinhas com cartuchos de CO2.

6. As bombas de pé em geral tem manômetros, com razoável precisão. Isso é legal quando se sai para uma trilha – você pode calibrar de acordo com o terreno onde você vai fazer o pedal. Algumas bombas de bolso tem manômetro, também, mas a precisão não é tão boa (algumas têm manômetros minúsculos).

No manômetro você pode ver a pressão do penu

Atenção: Bombas de suspensão tem ótimos e precisos manômetros, e podem ser usadas como calibrador, mas embora sirvam para encher pneus o volume de ar bombeado é baixíssimo (porque suspensões tem câmaras muito pequenas). Assim, atingir 50 PSI numa bomba dessas exige centenas de bombeadas, o que provoca um desgaste desnecessário nessas (em geral caras) bombinhas.

Bomba de suspensão, de baixo volume de ar. Inadequada para encher pneus.

Algumas bombas legais (mas tem muitos outros bons modelos no mercado):

Bombas de pé:

A Specialized Air Sport alia um bico universal, bom manômetro a uma construção bem resistente. Boa bomba.

Park Tool é sinônimo de qualidade, mas é meio cara e difícil de se achar por aqui. Mas é bomba para toda a vida.

A Topeak Joe Blow Ace tem duas câmaras de pressão e três estágios – a primeira para baixas pressões e a segunda para pneus de road bikes, que promete atingir até 120 psi. Na terceira o fabricante diz atingir incríveis 260 psi. De alumínio, a bomba é leve e com bico automático. Ótima escolha.

A Gyio Air Supply tem manoplas ergonomicas, corpo e base em alumínio, e promete atingir pressão máxima de 260 psi (18 bar) para pneus de competição.

Bombas de bolso:

A Specialized Air Tool Mini bronze tem corpo em alumínio, com válvula conversível (mas não automática), trava na bomba (para não ficar abrindo no bolso) e grande volume de ar.

A Topeak Race Rocket MT tem mangueira retrátil, válvula conversível e promete honestos 90 psi, o que é mais que suficiente para emergências, mesmo em road bikes. Na verdade, altíssimas pressões em bombas de bolso não são fáceis de conseguir.

Como a Topeak, a Air Race também tem mangeira retrátil, trava, bico conversível e dois estágios, numa construção bem robusta. É um pouco comprida, mas tem ótimo volume de ar. Boa para carregar na mochila (é a minha escolhida).

Essa é a bomba de bolso com dois estágios Blackburn AirStik SL – pesa só 84g e promete 160Psi, mais do que suficiente para qualquer pneu de road bike.
É a sugestão do nosso leitor Oscar Kreitlow.

Posts relacionados:

Os Pneus
Porque Tubeless?
Selante Joe Flats Yellow Gel
No Flats II
Como trocar o pneu
Calibrar o pneu enquanto pedala
Vídeo – Como escolher seu pneu

Anúncios

Publicado em 31/05/2012, em Reviews e marcado como , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. Comentários desativados em Bombas – Seus pneus sempre cheios.

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: