26 ou 29 – ainda a dúvida.

Bom, já postamos sobre isso antes… claro, é um assunto controverso, e todos tem seus argumentos.

A indústria, é claro, tem que se renovar, e tem feito isso constantemente, com a introdução de suspensões dianteiras, geometria sloping, bikes full suspensions e com a contínua evolução dos componentes. Mas para vender nem sempre isso é suficiente, e uma mudança radical – às vezes revolucionária, às vezes cosmética – é necessária de tempos em tempos.

Com a introdução das big wheels (rodonas), como são chamadas as 29ers, a indústria se viu no papel na obrigação de convencer os reticentes proprietários de bikes aro 26 a trocar seus equipamentos pela nova opção. Não esqueçamos que se faz um bom up numa 26 trocando a relação de 9V para 10V, mas um up de 26 para 29 é um up da bike inteira, e isso faz qualquer fabricante, distribuidor ou lojista sorrir com vontade.

Argumentos não faltam a favor das 29. Já li em algum lugar que o próprio Gary Fisher teria declarado que só não usou rodas 29 nas primeiras mountain bikes pela maior disponibilidade de aros 26 à época, mas que as 29ers seriam muito mais adequadas ao MTB.

Um dos principais argumentos é que a 29 tem rolagem maior, o que é um fato, e assim, vencida a inércia inicial, a bike andaria melhor e com menos esforço. Ela também sobe melhor, mas é preciso definir o quanto melhor, e se lembrar que, mesmo subindo melhor, ela não sobe sozinha.

A roda maior também proporcionaria uma maior facilidade na transposição de buracos e obstáculos (outro fato).

No entanto, os opositores argumentam que bikes 29 são necessariamente mais pesadas, levado em conta um preço proporcional, que sobem pior, que são menos ágeis em single tracks apertados e, se a 29er passa melhor por obstáculos, é mais fácil dar um bunnyhop com uma 26.

Assim, logo surgiram os testes 26 vs. 29. São fáceis de achar no Youtube, e tem desde os ridículos, como o que postamos a seguir, como também a interessante comparação feita por Christoph Sauser (Suíço, Campeão Mundial de Maratona em 2011), que apresentamos e discutimos nesse post.

Vejam que comparação mais rasteira: nesse “teste” o ciclista não consegue subir um meio fio com uma 26, mas sobe facilmente com uma 29. Isso não reflete, obviamente, a realidade.



Mas vamos lá. A Specialized – que não pode se dizer isenta, já que quer emplacar as 29ers pelas razões mercadológicas descritas – selecionou um de seus pilotos, Christoph Sauser, para testar, sob as mesmas condições, a Epic S-Works 26 e 29.



As bikes pesam 9,1 kg (a 26) e 9.8 kg (a 29). O teste foi inteiramente realizado num trecho de single track, com um uphill, alguns minutos de descanso e um downhill. Os resultados favoreceram a 29er, como era de se esperar. O teste parece ter sido bem honesto (pode-se observar o esforço semelhante feito pelo piloto, com frequencia cardíaca média bastante similar com as duas bikes), e as diferenças não foram grandes, dadas as curtas distâncias pedaladas. Resumidamente, os resultados foram os seguintes:


Specialized Epic S-Works 26

Specialized Epic 26

Uphill: 19’21” / Downhill: 15’02”


Specialized Epic S-Works 29

Specialized Epic 29

Uphill: 19’10” (11 segundos mais rápida) / Downhill: 14’50” (12 segundos mais rápida).


Como muito bem analisou Cristoph, a Epic 29 é uma bike desenvolvida para o Cape Epic, “a mais dura competição no mundo, para o ciclista e para o equipamento”, e tal ganho de performance se reflete, nos 100 km de cada etapa, num ganho de cerca de 7 minutos, o que faz toda a diferença para quem busca uma melhor classificação. No caso dele, porém, que participa de competições de XC, cujo formato são “longos sprints de 1:30h”, ele considerou que a 26 seria uma bike mais adequada, entre outras características, pela maior manobrabilidade.

Isso mostra que a 29 não é uma bike que resolverá todos os seus problemas. Ela não tem motor, o ganho de performance – quando há – depende do tipo de trilha (ou de terreno, já que muita gente usa mountain bike em longos trechos de asfalto) e a sua adaptação à mesma fará toda a diferença.

Esses dois comentários (em tradução livre) selecionados de ciclistas que assistiram o vídeo de Cristoph ajudam a reafirmar o meu ponto de vista:

[Comentário 1]: Pedalo em ambas, e penso que depende do seu estilo de pedalar e de como você se sente confortável numa trilha. A 26er tem uma rápida resposta em curvas apertadas e trilhas estreitas, e para passar por um obstáculo é muito similar. A 29 rola algumas polegadas a mais que a 26, assim sendo tem uma pequena vantagem, em terreno plano, sobre a 26.

[Comentário 2]: Em relação às 29: Pros – muito rápida e eficiente, tanto em estradões como em asfalto. Definitivamente mais rápida que outras bikes nas quais pedalei. Mais confortável que as 26, mesmo sendo uma HT. Sinto a recompensa sempre que decido realmente pedalar com potência. Contras – Difícil de manobrar especialmente em single tracks e curvas apertadas. Mais difícil de pedalar por lama espessa, a menos que você esteja já bem rápido. Pedalar com inclinação é definitivamente assustador, e você será penalizado se diminuir a velocidade, então, nem pense nisso.

Assim, acho que se você pretende migrar para 29 ou continuar na 26, você deve fazer longos test-drives, no modelo de bike que você pretende adquirir, e principalmente, no tipo de pedalar que você pretende fazer. Não adianta dar a volta na quadra, ou fazer uma pedalada de 2 ou 3 km com qualquer 29er e decidir pela empolgação. Geometria e peso são fatores a considerar, e meu conselho é experimentar mesmo. Então, fica a dica, senhores lojistas: não é porque estamos em Natal, nesse finzinho de mundo, que não podemos ter um Demo Day, de verdade..



Recebi essa valiosa contribuição do Studio Bike Fit, via Facebook, e resolvi adicionar ao post.

Eis as considerações feitas pelo ciclista e fisioterapeuta Thiago Ayala, especialista em fisioterapia traumato-ortopédica:

“Este cálculo físico foi feito considerando as bikes com a mesma combinação de relação. Muitos questionaram que não era assim etc e tal. Eu não tenho nada contra as 29, mas o cálculo mostrou isso. Então que estas pessoas briguem com a física, hehehe.

Considerando outra combinação de marcha, esta porcentagem pode mudar. Por isso é bom enfatizar a combinação de marcha utilizada para calcular esta porcentagem. Outra coisa, esta diferença seria (se não estou enganado) mais percebida em arrancada e retomadas”.


Excelente análise comparativa entre 26 e 29ers, feita pelo Studio Bike Fit, do Dr. Thiago Ayala (clique para ampliar).


E aí, o que você acha?


Posts Relacionados:

27,5??? Agora, pronto!
Giant Anthem 29er e o Cape Epic
Cannondale 29′ers 2012
26 ou 29???
29ers de baixo custo

Anúncios

Publicado em 05/03/2012, em 26, 27.5 e 29ers, O que eu acho e marcado como , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. 29 Comentários.

  1. Esse primeiro teste não vale de nada! kkk.mas deve-se escolher dependendo do fim que a bike terá,creio que a 29’er se saia melhor num estradão e a 26 na parte mais técnica.ia pegar uma 29 mas tive medo de não ser boa em subidas técnicas,lama,fendas e etc. e a diferença de tempo que se faz com uma 29 não é lá grande coisa. No fim,o que faz a diferença são as pernas do caba!

  2. Lançaram uma aro 27,5! kkk.nem lá nem cá,é bom que acaba com essa discussão…

  3. Breno Galvão

    Estou pedalando numa Cannondale Flash Carbon 29’er 2 e posso te garantir que eh uma bike superior. Em 2011 pedalei de Flash Carbon 4 aro 26 e a 29’er eh superior. A duvida eu tiro quando tenho que pedalar na Scalpel Ultimate 2011 do meu irmão, aro 26. Haja sofrimento!!! A 29’er eh melhor….

    • Oi Breno! Puxa, legal ouvir a sua opinião. Também tenho certeza que as 29ers tem seu valor e seu espaço, apenas acho que ela se encaixa bem para um determinado tipo de ciclista e de pedal; ou seja, não é bike para todos.
      Outra coisa é que também não acho inteligente trocar uma full 26 por uma HT 29, com o argumento de que o conforto é similar – para mim são coisas completamente distintas; nem trocar uma bike 26 top por uma intermediária 29. Acho que, se o ciclista sabe que será melhor para ele com uma 29, tem que partir para uma bike equivalente ou melhor, como você sabiamente fez! Abração!

  4. Para o teste valer, há a necessidade de se repetir pelo menos três vezes para que se tenha média e desvio padrão. Talvez em três ou quatro tomadas de tempo diferentes não haja diferença estatisticamente significativa entre as performances das bikes 26 e 29.

    • É, esses testes não tem valor cientifico, mesmo. De qualquer forma, são muitas variáveis envolvidas – mesmo usando o mesmo ciclista, na 3ª ou 4ª tomada ele estará mais cansado; se for em outro dia, o vento poderá estar diferente, e por aí vai. É só para dar uma idéia, e na minha opinião, cada um tem que testar e escolher o que é melhor pra si.

  5. Colocam “girafas” para pedalar 29rs e é claro que irão se sair bem. Aqui em Minas Gerais tem muitas trilhas com curvas fechadas e muita lama no verão, portanto vou continuar com minha 26″ por um bom tempo, até porque tenho 1,70 de altura e não tenho nenhum complexo de baixinho para querer utilizar uma 29r, hehehehe.

  6. O que acho mais complicado disso tudo é escolher o tamanho certo. Vejo diferentes argumentos, mas pouco importantes, talvez, para quem não quer competir. Apesar de estar lendo bastante, fico cada vez mais em duvida, rsrs. Estou começando e quero uma Bike pra andar na cidade, em pedais de 10 a 70km. E num futuro breve algumas trilhas simples, para iniciante. O que vc faria? Uma elite 2.4, uma elite 2.7 ou a elite 10? Abraço!! Ja adicionei seu site aos meus favoritos…

    • Olá, Bruno! Acho que para pedalar na cidade, sem compromisso de performance, uma Elite 2.7 seria a melhor escolha entre as três. Entre aro 26 ou 29, para pedal urbano, eu indicaria uma 26 ou 27.5. O percurso urbano é mais travado, com frequentes paradas, e a retomada de velocidade numa 29 exige um pouco mais de esforço.
      Além disso, são bikes mais caras, e com o mesmo valor você compra uma 26 com componentes bem melhores.
      A 2.7 vai lhe permitir um pedal urbano eficiente e trilhas intermediárias (até mesmo radicais) com tranquilidade no equipamento. Ou seja, mesmo que você busque performance no futuro, no mtb, ela irá lhe atender sem necessidade de upgrades.
      Curta a nossa FanPage e fique ligado nas novidades, ok? http://www.facebook.com/pages/Da-Lama-ao-Caos/333903203299235. Abraços!

  7. Obrigado!! Ajudou muito a sua resposta!! E a Elite 2.4, você acha que deixa muito a desejar? É por que não sei se conseguirei o dim dim suficiente pra comprar a 2.7.

  8. Estou querendo mudar p/ 29er também, mas minha duvida tá na geometria. Alguns falam que se você anda de aro 26 e o quadro por exemplo é 17”, você deverá pegar um quadro15,5” 29er para compensar.
    Agora fiquei em dúvida. Não sei o que faço. Achei que não mudava nada na geometria.

  9. Oi pessoal!
    Queria esclarecer uma dúvida. Uso bike aro 26, quadro 21, tenho 1,90m, fui conhecer as aro 29, e perguntei ao vendedor da loja sobre o tamanho do quadro, qual deveria ser, ele disse que
    o tamanho 19 estaria bom, devido a compensação do tamanho das rodas, não sei se era conversa de vendedor, porém queria saber a opinião a respeito disso. Valeu!

  10. Valeu! E no mais, parabéns pelo blog, pelas dicas.

  11. marcio giatti

    Olha , eu tinha uma Stump Marathon Carbon 26 troquei por uma Stump Comp Carbon 29, no começo foi aquela sensação maravilhosa que tudo era melhor…. o tempo foi passando e hoje, depois de 6 meses, acho que vou voltar pra uma 26. Motivo? A 26 é mais rápida, mais na mão, mais leve… A 29 tem sim suas vantagens: descer, estradão, transpor obstáculos… Mas gente, pra mim pra descer tudo santo ajuda… e, na verdade, foi bom pra sentir as 2 bikes… mas vou voltar pra 26 sim … Abraços!

  12. Eu tenho uma 26 mas estou trocando e queria uma 29….minha duvida é na subida…qual cansa menos? Qual é melhor? Tanto em subidas técnicas com lama e buracos quanto em subidas de asfalto, que acham? Subida é foda!

    • Com a palavra, os que tem 29ers!
      Vamos lá, galera! Dêem a sua opinião!

      • Olha Bruno , pelo que vi pra mim é o seguinte, 29 tem que ser leve, entre 10 a 11 kg no máximo, senão meu amigo depois que passar aquela euforia de ter uma 29 o negócio começa a pegar …. falo por mim entendeu? Por isso que voltei pra 26. minha 26 pesa 10 kg e minha 29 pesava 11,500 kg. Mas se isso de peso não tiver importância pra você, vai de 29 que ela é bem mais confortável.

        • Esqueça a 29″ se você tem menos de 1,80 ou faz “single tracks” com curvas fechadas. Pedalar no barro na subida com uma 29″ é horrível, a não ser como o amigo falou, se a bike estiver na casa dos 10 kg.

          Aguarde mais um pouco e poderá experimentar o tamanho 27,5″ de aro com o quadro e a suspensão da 26″, somente trocando o aro e pneus. Vale a pena esperar.

          Nino Schurter foi campeão utilizando um quadro 26″ com aros 27,5″, depois é que a Scott fabricou quadro e suspensão para 27,5″.

          • Andei pesquisando bastante sobre as 29er e perguntando muito para as pessoas também….e pelo que apurei a grande maioria, quase unanimidade, afirmou que a teoria de que a estatura é uma desvantagem caiu, viu?, pode ser que estejam errados, mas todos afirmaram nao ter muito a ver……mas enfim, tenho 1,80 mesmo! Haha
            A duvida mesmo é na subida, se ela vai melhor que a 26 e se ela cansa menos…se desgasta menos! Abraço galera e bons pedais pra nós!

            • Concordo inteiramente que a altura do ciclista não tem nada a ver com a escolha do tamanho do aro. O que o cara precisa é de um bom bike fit e a geometria adequada para seu biotipo.
              Cansar na subida? Não tem nada a ver com o aro, também, mas com o motor: suas pernas! Se elas estiverem bem, você sobe até de ré.
              O aro 29, por ter maior rolagem, vai auxiliar em estradões e transposição de obstáculos. Vai dificultar para se retomar a velocidade (após uma parada) e em manobras em singles mais apertados.
              A propósito, trocar os aros de 26 para 27,5 e manter quadro e garfo é das maiores asneiras que alguém pode fazer. E não sou eu quem está dizendo: http://bikeradar.com/gear/article/trail-tech-five-reasons-not-to-convert-26in-to-650b-36241/

            • Você pesquisou onde? Na loja? Já vi lojista empurrando bike 29″ para pessoas com 1,60 de altura.

              Sabe qual a diferença entre ficar entre os aros e sobre os aros?

              Sabe porque o Nino Schurter desistiu de competir em 2012 com uma 29r para competir com 27,5″?

              Por causa da altura dele!

              A gente quer ajudar mas não adianta…

              • Oi Paulo! Na dúvida, acionamos o nosso consultor para o assunto, o Bike Fitter Rodrigo Langeani, do http://www.bicicletaperfeita.com.br. Veja a seguir nossa pergunta e o que ele fiz sobre o assunto:

                Há algum impedimento ou seria desaconselhável uma pessoa de 1,60, por exemplo, usar uma 29er, fazendo um bom bike fit, ou daria para usar sem problemas?

                Resposta do Rodrigo:
                “Hoje a geometria das 29 evoluiu, de modo que usamos o mesmo tamanho de bicicleta que usaríamos no aro 26. Os fabricantes tiveram o cuidado de deixar as bikes com o mesmo comprimento de top tube nos modelos 26 e 29, além de manterem a altura do movimento central em relação ao solo nas 29. Então, normalmente dá sim, na maioria dos casos”.

                O complemento ele mesmo postou no comentário seguinte!

  13. É então, é que algumas pessoas me disseram que na subida a 29er era bem mais pesada que a 26, mas pesada que eu digo é em termos de cansaço. Quem me disse isso eram donos de 26 e 29er….por isso a duvida!
    Mas foi isso mesmo que imaginei dalamaaocaosbike, quem manda nisso é o preparo físico.
    Abraços e acho q vou comprar a 29er…kkkk velocidade maior sempre é melhor, né?, hahahaha e nos singles adaptamos! Kkk

    • Eu acho (não testei) que numa subida leeenta, a 29er pode ser mais problemática para quem não está com o preparo em dia.
      Mas uma bike nova sempre pode ser um estímulo para se preparar melhor, né? 😉

  14. Vale lembrar que com uma 29, a gente pedala um pouco diferente do que nas aro 26.
    Por conseguirmos manter mais fácil o embalo com as bicicletas aro 29, normalmente é mais fácil atacar as subidas com um pouco mais de embalo. Isso funciona muito bem para subidas curtas.
    Ao pegar uma aro 29, o ciclista tem que gastar um tempo experimentando a bike e a nova relação, já que grande parte das aro 26 tem relação 3×9 (ou 3×10) e as 29 tem 2×10. E isso implica uma pequena diferença no comportamento de cambiarmos as marchas em diferentes terrenos.
    Mas com a 29, conseguimos subir algumas subidas que não subiriamos de jeito nenhum com uma 26, devido a melhor tração (e isso mesmo com a bicicleta um pouco mais pesada).
    Apenas minha opinião!

%d blogueiros gostam disto: