Cajazeiras – Pedra Branca

Sugerida por Ewerton do blog Amigos do Pedal RN (os maiores desbravadores de trilhas do nosso estado), que gentilmente nos cedeu o KMZ, essa trilha me interessou no momento que eu li a postagem no blog dele.

A trilha original é muito mais longa (92 Km), que seria inviável pela nossa limitação de tempo e condicionamento físico. Nos limitamos a 43,6 Km, o que consideramos unanimemente uma trilha com distância mais que suficiente. Sim, porque a trilha, embora não tenha grandes desníveis, nem areiões, não é fácil. O lugar é quente, muito quente, e quem não foi devidamente prevenido (com pelo menos 2L de água) teria passado um enorme sufoco se não houvesse uma parada técnica no Bar do Valter, na localidade de São Pedro.

A trilha começa na localidade de Cajazeiras, na BR226, entre o trevo para Caicó e a cidade de Bom jesus, a cerca de 45 km de Natal.

Iniciamos o pedal pela BR 226, sentido Natal. A cerca de 420m entramos em uma estrada de terra à esquerda.

Após a entrada, seguimos o percurso no GPS – um estradão tranquilo, e pela hora, com clima relativamente ameno.

Com 6,6 Km saímos na RN 203.Ainda bem que são apenas 1,5 Km na rodovia, que não tem acostamento, e cujos carros parecem estar disputando uma prova de F1. Então, à direita há uma porteira (que estava fechada, mas que não tem não tem problema, pois a estrada é de livre acesso) que foi devidamente pulada. Aliás, tem porteira essa trilha, viu? Paramos de contar na porteira número 6.417.

Saímos na Fazenda Abreu. Depois, pegamos uma estrada de terra que nos levou para a Pedra Branca.

A “verdejante” paisagem da caatinga 😀

Fazenda Abreu

Mesmo na secura total a natureza tem sua incrível beleza

A vegetação do local

Ainda no caminho para o Rio Potengi

Plantação de palmas (para o gado, provavelmente). A única coisa verde da região, fora algarobas.

Parada técnica para gel + hidratação

Uma fazenda da região

Em seguida cruzamos o Rio Potengi (que está praticamente seco) pela primeira vez. A segunda vez a cruzar o rio, foi após um trecho de bike logo que cruzamos a porteira ao lado da Pedra Branca.

O rio Potengi

E a galera resolvendo como atravessar sem se afogar

Felix Monstruoso, que se divertiu fazendo a trilha só com o coroão.

Vou levá-lo para uma serra pra ver se ele repete o feito, hehe.

A casinha, os jasmins e o poeta 😀

O ipê roxo

A Pedra Branca


Em direção à Pedra Branca:

Da lama ao Caos Mountain Biking Team

Ao passar pela pedra, cometemos um erro de navegação, mas que resultou numa descida por uma laje bem interessante!

 

A segunda passagem pelo profundíssimo rio Potengi

A caatinga é assim: um pouco de água e tudo logo fica verde.

No fim do single track para atravessar o rio.

A porteira nº 5.218

Um trechinho onde o Potengi tem água corrente e peixinhos

Da Pedra Branca fomos à cidade de São Pedro, onde reabastecemos as mochilas de hidratação.

Depois de São Pedro, nesse ponto do trajeto, só me lembrei de uma frase que o pessoal que faz trilha diz:

Mountain bike é bom porque é ruim; se fosse pior seria melhor ainda!

O resto do percurso foi cansativo, não pelo percurso em si, mas pelo enorme calor, entre 38 e 40 graus, presente o tempo todo.

Nossa meta não é velocidade; nossas trilhas são caracteristicamente lentas, mesmo. Para cumprir o percurso, contando as paradas, levamos cerca de 6 horas, das quais 3:30 de pedal efetivo. A velocidade média foi de 12,2 km/h, com 301 m de subidas acumuladas e inclinação máxima de 5,5%.

Um pedal pesado, mas muito legal.

Dê uma olhada nas Trilhas Mapeadas para checar o arquivo do Google Earth.

Anúncios

Publicado em 13/10/2011, em Trilhas e marcado como , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. Comentários desativados em Cajazeiras – Pedra Branca.

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: