Dicas para iniciantes

Um leitor me mandou um email com as seguintes perguntas:

Gostaria de saber se há algumas coisas para eu aprender para que não cause danos a bike e melhore meu desempenho.

1)Tem algum jeito certo para trocar de marcha?

2)Para descer de algum lugar, fazer drop off, qual o melhor jeito para faze-lo?

3)Nao preciso me preocupar com água, poças, lama?

Abaixo, as minhas respostas:

Tem um jeito certo de trocar de marchas, sim. Em princípio, é interessante prever o momento de trocá-las, principalmente em trilhas. Ou seja, se você vê uma subida adiante, ou areia, reduza as marchas antes, mudando para as catracas maiores. A mudança de marchas num momento de necessidade, por exemplo, no meio de uma subida, quando você está fazendo força no pedal, não é desejável. Se for extremamente necessário, tente aliviar a força da pedalada no momento da mudança. A mudança fará um barulho desagradável e, eventualmente, poderá danificar a corrente (mas a mudança pode ser feita, embora não seja desejável).

Em princípio começamos uma subida com a coroa do meio e a terceira ou quarta catraca (sendo a primeira a menor). à medida que nossas forças diminuem, podemos ir gradativamente trocando para catracas maiores. Na penúltima catraca podemos mudar para a coroa menor, se necessário. Nesta situação, a mudança deve ser feita sempre aliviando-se a pedalada, de forma a poupar a transmissão. Às vezes quando descemos ou subimos uma coroa temos de fazer o mesmo com as catracas, de forma a manter o giro (dos pedais) estável.

Da mesma forma, evite o cruzamento de marchas (usar a catraca menor com coroa menos ou catraca maior com coroa maior). Isso força a corrente, catraca e coroa. De forma ideal com a coroa do meio você pode usar todas as catracas, com a coroa grande as quatro menores e com a coroa pequena as quatro maiores.

Observe na imagem da direita, coroa maior com catraca maior e coroa menor com catraca menor, duas situações indesejáveis, chamadas “cruzamento de corrente”.

O cruzamento de marchas é indesejável, mas pode ser usado de forma eventual e esporádica.

Acho que em relação a um drop off você está se referindo a um downhill. De qualquer maneira, em descidas posicione seu corpo o mais para trás possível (às vezes atrás do selim). Mesma coisa para pequenos “degraus” nas trilhas. Mas, cuidado, respeite seu limite.

Observe o posicionamento do ciclista

A bike é relativamente resistente a água e lama. Porém, evite submergir os cubos (eixos das rodas) e o movimento central (eixo da pedivela). Caso isso aconteça, em alguma poça mais funda, com alguma frequência (é uma questão de bom senso), a água poderá penetrar nos rolamentos internos. Para evitar que se danifiquem, o ideal é levar numa oficina para abrir cubos e central, limpá-los e lubrificá-los. Mas isso não é necessário no uso normal, ou seja, cada vez que a bicicleta sujar basta uma limpeza normal, com água e detergente neutro, sem usar abrasivos. A corrente deve ser limpa e lubrificada a cada pedal fora de estrada, para que sua durabilidade aumente.

Se você ainda não conhece direito a sua bike, clique AQUI.

Nem todos fazem isso, mas a lubrificação faz com que grude areia na corrente, e essa areia desgasta incrivelmente as engrenagens (catraca e coroas).

A limpeza pode ser feita sem tirar a corrente, veja aqui:

Limpando a Bike 1
Limpando a bike 2

Anúncios

Publicado em 11/10/2011, em Conheça sua Bike e marcado como , , , , . Adicione o link aos favoritos. Comentários desativados em Dicas para iniciantes.

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: