Que upgrade devo fazer?

Recentemente li um excelente artigo no Bikeradar.com sobre qual o primeiro upgrade que devemos fazer na nossa MTB.

Posto que a realidade no primeiro mundo, mesmo falido, é outra, segundo o meu ponto de vista a coisa deve começar assim:

1) Se a bike é de entrada mesmo, o primeiro up deve ser para 27V. Pelo menos com uma transmissão Alivio. Aliás, a respeito desse up, especificamente, não recomendo um up parcial, ou seja, sem trocar o pedivela. A corrente mais fina de 9V tende a prender em pedivelas para 8 ou 7V, e a tendência, com um pouco de areia ou lama, é um chainsuck brabo.

Supondo, no entanto que você já tenha uma bike com 9V (ou mesmo 8V, e esteja satisfeito com a precisão e eficiência), aí começo a concordar com o que Bikeradar diz.

Um bom garfo pneumático, ou um quadro mais leves são ups excelentes, mas que demandam um grande investimento. Assim, seriam ups para uma segunda ocasião.

Tirar peso da bike também é uma opção, até um certo ponto. Em ciclismo há uma máxima que diz que, quando você tira peso das rodas isso equivale a quase uma vez e meia o peso tirado de partes estáticas (como quadro, suspensão, etc). No entanto, esta afirmação é contestada neste artigo.

Assim, talvez elementos de conforto, como um bom selim (que só se revelará realmente bom após várias pedaladas), uma mesa mais curta, que facilitaria nas descidas, e um guidon mais largo que dará maior controle e facilita a respiração sejam ups mais lógicos. Acrescento que é importante ir em cima de boas marcas, como Ritchey, KCNC e FSA, para citar algumas – porque além das vantagens citadas dá para tirar um pouco de peso também, o que é sempre bom.

Mas para mim, um up essencial em se tratando de bikes básicas e intermediárias, são os pneus. Um pneu que dê o nível de tração necessária para o tipo de terreno onde você trafega mais é um up incomparável, e onde você pode tirar o maior peso com o menor custo. Pneus muito duráveis em geral agarram menos, então se você pretende fazer trilhas mais radicais, saiba que um composto mais mole será de grande ajuda. Pneus de kevlar costumam ser mais leves, então podem ser uma boa opção, apesar de serem mais caros. Eu uso o Maxxis Larsen Mimo na dianteira e o excelente Maxxis High Roller Exception Series na traseira (que gasta rapidíssimo em asfalto, mas é inigualável em estradão e areia solta).

Ainda, para evitar aborrecimentos, sugiro:

1) ou usar pneus sem câmara (tubeless)

2) usar câmara com selante

Ambas as soluções podem ser facilmente encontradas nas boas lojas.

E você? Já fez algum up na sua bike? Pretende fazer algum num futuro próximo? Deixe seu comentário!

Anúncios

Publicado em 08/08/2011, em O que eu acho. Adicione o link aos favoritos. 10 Comentários.

  1. José Anderson

    Parabéns pelo blog, varios artigos bacanas. Adicionei seu blog a minha lista de favoritos. Os ups são inteligentes, este ano quero iniciar um pedal mais constante, comprei uma bike daquelas de mercado e… é o que dá pra hoje. rs (Uma GTA 26, aro Vmaxx, freio a disco mecanicos…basica) A idéia é rir como os amigos no fim de semana. Até o momento estou descobrindo que não sei nada de bike, e que, C10 não tem nada haver com MTB…rs Obrigado pelas dicas. [comentário transferido do Blogspot – 11/01/2012]

  2. Da Lama ao Caos

    Blz José Anderson! Obrigado pelos elogios. O espirito é esse mesmo: rir com os amigos. Um dia, se sentir necessidade e puder, os ups podem ser uma opção. Grande abraço![comentário transferido do Blogspot – 11/01/2012]

  3. Olá pessoal, gostei da matéria, mas percebi o quanto sou amador no assunto. Recentemente (2 anos) comprei uma Caloi Aluminio, e diga-se por passagem que LIXO! Mas depois de comprado fazer o que, não? Então mesmo sem informação profissional fiz um up, coloquei um grupo Shimano alivio 21v, câmbios, cubos, freios pé-de-vela e amortecedor Spinner 300 (120mm de curso). Uso a bike somente para trilhas, beira de rios, galhos, lama, canaviais e estradas esburacadas.
    Será que fiz uma má escolha?

    • Oi Fábio. Bom, realmente a Caloi Aluminium não é uma bike indicada para uso offroad. Mas já que você comprou, fez certo com os ups. Seu grupo, no entanto, não é Alivio; deve ser um mix, pois o Alivio até 2010 tinha 24V, e a partir de 2011 passou a ter 27.
      Só teria a considerar uma coisa: será que o quadro da Aluminium suporta uma suspensão de 120mm? Não sei. Com esse curso aumentam as tensões no Head Tube (tubo na frente do quadro, onde se encaixa o garfo), que pode, eventualmente quebrar, com consequências desastrosas.
      Sugiro email para a Caloi com o questionamento, ou, melhor, mais um up: de quadro. Qualquer duvida, nos escreva!

  4. Thiago Mourão

    Olá parceiro. Como vão os pedais?
    Como te disse e um email a pouco tempo, sou um fã incondicional do blog. Uso ele muitas vezes para responder as dúvidas dos meus amigos, compartilhando os tópicos via smartphone. Esse tópico eu já perdi as contas de quantas vezes já compartilhei.

    Como eu sei que você sempre responde os leitores prontamente, resolvi postar mais uma dúvida.

    Tenho uma Specialized Hardrock Sport Disc 2012, toda Acera com pedivela Deore, freio hidráulico e suspensão básica.
    Meu primeiro up você já me indicou uma boa suspensão pneumática.

    Agora é o segundo…

    Apesar de sonhar com uma full suspension, gostaria de melhorar minha primeira bike.

    Meu amigo, dono de uma excelente loja em BH, falou que não aconselha a investir nessa Specialized, pois não compensa. Seria melhor vender original e pegar uma acima ou até mesmo já realizar o sonho da full suspension.

    Acontece que minha bike é nova, tem apenas 4 meses de uso, mesmo tempo que eu pedalo. Mas meu nível, modéstia à parte, já está alto, trilhas técnicas e pesadas… Minha galera é bruta! Rsrsrs…

    Além disso tô com aquela doença do upgrade, fico noite e dia sonhando em melhorar a minha ou comprar uma full suspension.

    Gostaria da sua opinião sobre isso.

    Estou pensando no up dos passadores e câmbios. Também no de 27v pra 30v.

    Oque você acha?

    Um grande abraço de uns dos fãs número 1.

    • Fala Thiago!
      Se você realmente quer uma full tem dois caminhos. Ou você vende a sua e compra uma full (bem, leve em conta que a Camber mais básica aqui esta por mais de 9 mil), ou troca o quadro. Essa segunda opção é mais viável, pois tem muito quadro full bom e em conta.
      Você pode também ficar na HT mesmo, escolha de 90% doa ciclistas que buscam performance extrema.
      Se você optar por trocar o quadro ou ficar na HT, considere um up para 20V, que é o que a galera bruta de verdade usa.
      O garfo pneumático ainda acho um up essencial, antes de qualquer outro.
      Abração e continue divulgando o blog. Obrigado!!!

  5. Arthur Costa

    Olá, amigos Dalamaaocaos!

    Estou querendo montar, sem pressa, uma MTB. Não apenas para ter um conjunto que eu possa “chamar de meu”, mas curtir a montagem. Para isso, vou comprar peças por meio de amigos que viajam para o exterior e mesmo via sites de exportação como, por exemplo, o Chain Reaction Cycles. Vou começar pelo grupo, algo em torno do Shimano Deore SLX – XT ou do SRAM X7 – X9, com 27v, pois me disseram que é mais robusto do que os de 30v (procede?). Como venho usando um X7 numa bike e estou gostando muito da reação e precisão do 1:1 em comparação ao 1:2 da Shimano, tendo a optar pelo SRAM. Porém (a dúvida), gostaria de saber se devo comprar um grupo fechado, ou se há uma combinação ótima, mesclando-se Shimano-Sram. Pergunto isso porque alguns amigos recomendam, por exemplo, o cassete Shimano, corrente Sram (a pc-991), disco hidráulico da Shimano, câmbio traseiro X9 e dianteiro X7… e por aí vai. O que vocês acham.

    Obrigado e, mais uma vez, parabéns por esse precioso serviço que vocês nos prestam!

    Abraços,
    Arthur

    • Oi Arthur
      A única forma de responder as suas duvidas é por opinião pessoal, do nosso dia-a-dia como ciclistas. Assim, não tome como verdade absoluta; tire suas próprias conclusões.

      Em relação a 27V ser mais robusto que 30V, a lenda deve ter surgido porque a corrente de 30V é mais fina (porque o cassete com 10 catracas se acomoda no mesmo espaço do de 9, então a distancia entre cada pinhão é menor). Mas não temos noticia de menor resistência, não. Achamos que 30V é tão resistente quanto 27, e bem mais preciso. Nossa escolha seria por 30V (ou 20V, mas aí é outra história) sem duvida nenhuma.

      Achamos, também, que a transmissão SRAM é mais precisa que a Shimano, porém menos robusta. Pelo que vemos, Shimano quebra menos (mas SRAM tem peças de reposição mais fáceis de encontrar).

      E em relação ao grupo, não há forma de um mix funcionar melhor que um grupo fechado… Pegue um grupo XT ou um SRAM X9 e seja (muito) feliz!!!!!

      Se você gostou desta resposta, faça uma doação ao Da Lama ao Caos – Doe 5,00 ao DLAC Não há nenhuma obrigação, é claro; é um ato de reconhecimento voluntário pelo trabalho do blog – E curta a nossa FanPage ficando sempre em dia com as novidades, ok? Abração!!

  6. Arthur Costa

    Muito obrigado, pela resposta! Considero-me esclarecido agora. E, sim, a ideia é essa mesmo: ser feliz! Quanto à doação, já fiz há um mês, mais ou menos. Mas farei outras, com muito prazer, ao longo das perguntas e respostas que ainda estão por vir… 🙂

    Abraços,
    Arthur Costa

    • Que bom, Arthur! E obrigado pela doação! O pedido de doação no final dos comentários não é dirigido a ninguém, especificamente, mas a todos os leitores!
      Grande abraço e conte conosco para tirar suas duvidas!

%d blogueiros gostam disto: