Sobre bikes nacionais básicas

Reproduzo aqui um post meu no Pedal.com.br, sobre a qualidade (e vantagem) de comprar uma Mountain bike como a Caloi T-Type ou a Caloi Supra.

No post um usuário do Forum considerava a Supra (e vários recomendaram a T-Type) como uma boa mountain bike de entrada. A minha opinião é um pouco diferente.

A Caloi, certamente por motivos relacionados ao Marketing, vende algumas bikes como Mountain Bikes que, na realidade, não se prestam à atividade. Claro, você pode fazer MTB até com um triciclo, mas ele não seria o equipamento correto a se utilizar.


Vendida como Mountain Bike, a T-Type não é uma bike indicada para essa atividade.
Imagem: http://www.caloi.com.br


O MTB exige muito da bike. O terreno irregular exige suspensão dianteira – por motivo de segurança, mesmo – e as constantes mudanças de marchas pedem precisão na transmissão.

As rodas sofrem muito mais do que sofreriam em um pedal no parque, e precisam ser de qualidade para não empenar ou quebrar.

Os freios precisam estar lá, com eficiência, quando solicitados.

Então, na minha opinião, algumas bikes vendidas pela Caloi (e outras marcas) como Mountain Bikes não merecem essa designação. A T-Type, SK, HTX, TRS e mesmo a Supra deixam muito a desejar na qualidade. Servem, claro, como bikes de passeio, mas é preciso fazer a diferenciação. O blog estaria sendo irresponsável se recomendasse qualquer delas para as trilhas. Existe um risco de quebra e acidentes pelo esforço. É nisso que nos focamos nesse post.

O T-Type tem uma geometria que não funciona muito bem, segundo relatos, com dificuldades para fazer curvas. Tirando o fato do peso e ergonomia.


A Caloi T-Type, vendida como MTB porém inadequada para as trilhas.


Em relação às peças o buraco é mais embaixo; a gente sabe que dá sempre para melhorar aqui e ali, mas isso se reflete em um aumento de custo, mesmo. Também concordo em relação ao mix de componentes que transformam numa salada (estragada) muitas das bikes gringas – é até engraçado, por exemplo, ver uma bike de 1800,00 com catraca de rosca.

De toda a forma, considero um Grupinho Altus o mais básico dos básicos para uma Mountain Bike (a T-type é vendida como MTB), junto com uma suspensão de 80 mm, mesmo básica. A combinação TX-50 com outros componentes off-series, para mountain bike, para mim, é piada. Por “trilhas leves”, o indicado para a bike, deve se pensar em um estradão em MUITO boas condições.

Então, se o cara compra a T-type e toma gosto pela coisa, acaba morrendo em muitos ups (quadro, suspa, grupo ???) ou vende a bike (por quase nada – a T-type não é um fenômeno em valor de revenda) e compra a bike que sirva para ele. Daí vai no ditado: quem compra mal gasta duas vezes. E muitas vezes o sujeito começa com uma bike fuleira e tem tanto, mas tanto desgosto, que acaba desistindo do esporte e a bike vira cabide na garagem.

Sobre a Supra, também acho graça ela ser vendida como MTB – Câmbio Tourney, Suspensão de elastômeros com 50mm? Só podem estar brincando.


A Caloi Supra é outra bike que não é uma boa escolha para MTB – embora o modelo 2012 venha com freios a disco, pleo menos uma mudança na suspensão seria necessária para adequar sua performance às trilhas.


Assim sendo, acho que é mais futuro ir montando, com um quadro decente, suspa básica e grupo de entrada, num esquema que vai dar realmente para pedalar um bom tempo e que pode eventualmente receber ups no futuro.

Resumindo, para mim essas bikes de supermercado, como a T-type, são enganação. Não tem jeito, para fazer MTB tem que gastar um mínimo, e o melhor é juntar um dinheirinho, esperar um pouco mais. E a T-type, se tá abaixo desse mínimo no preço tá também na qualidade.

Tanto a T-Type como a Supra tem preço sugerido pela Caloi de 999,00. Só pra não dizer que é algo contra a marca, é muito mais futuro juntar mais 500,00 e comprar a Elite 2.4, sem comparação.


A série Elite da Caloi (2.4 e 2.7) é um ótimo custo-benefício para MTB.


Posts relacionados

Soul SL 500 x Caloi Elite 2.7

A Caloi Elite 2.7 2012

Soul SL 100 2012

A nova Caloi Supra 2012

Anúncios

Publicado em 01/08/2011, em O que eu acho e marcado como , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. 37 Comentários.

  1. Isso depende de que se vai praticar. No meu caso, uso a T-type para pedalar mesmo, e nao tenho do que reclamar. É uma bike bonita, leve e resistente, uso sempre a minha, faço longas pedaladas e ela nunca me deixou na mão. Agora, pra quem nao gosta da marca Caloi, ou tem bikes mais caras e pratica ciclismo pesado e etc, é claro que alguns modelos mais baratos como esses da Caloi e outras não serão interessantes para os praticantes de certas modalidades de ciclismo.

    • Oi Charles! Até alterei o post, para explicar melhor. O Da Lama ao Caos é direcionado ao Mountain Bike, e pretendemos orientar quem está disposto a praticar a modalidade. Entendo que você curta a sua T-Type. O que quisemos dizer no post, e que talvez não tenha ficado bem explicado, é que a T-Type não é uma Mountain Bike. Para os padrões de MTB, ela também não é leve, ou resistente. A geometria dela deixa a desejar.
      Longas pedaladas em MTB são de mais de 100 km num dia. Não é o tipo de pedal que faço, mas não são poucos os que fazem. Com uma Caloi Elite o cara vai; com uma T-Type, acho difícil. Duvido muito que um ciclista faça uma trilha de 40km – considerada uma trilha de distância moderada – numa T-Type e chegue inteiro (no sentido de não chegar acabado de cansado e com dores).
      Então, na sua argumentação, você está certíssimo: A T-Type lhe satisfaz para o tipo de atividade que você pratica. Com certeza é uma bike que tem mercado, senão a Caloi já teria parado de fabricá-la. Apenas não é adequada ao MTB, nem mesmo para trilhas leves, e é essa dúvida que queremos dirimir no post, pois ela é vendida pelo fabricante para a prática de uma atividade à qual ela não se presta. Valeu pela colaboração, espero que tenhamos lhe explicado melhor! Abração!

  2. Danilo Galvão

    PUTZZZ !!! Se tivesse lido isso aqui a 1 mês atrás não teria cometido tamanha burrice!!! Me precipitei, comprei a T-Type para MTB mesmo!! Não me via comprando uma bike de mais de R$ 1000,00, achava maluquice. Comprei a T-Type, dividi em 12X, e saí da loja todo feliz. Hoje, mesmo com uma T-Type, tomei gosto pelo esporte, me joguei em varias trilhas com ela já. A corrente já partiu, o aro já empenou, aos poucos vou substituindo algumas peças até terminar de pagar as 12 parcelas.
    Mas, se souber quem queira comprar, vendo ate por R$ 700,00. Gostei tanto da coisa que pensei em tirar uma economia da poupança e comprar uma GT ou uma SCOTT de R$ 2.500,00 e resolver meu problema, maaas… vamos com calma !!! A merda já foi feita… vamos pedalando na T-Type mesmo… Já troquei o selim, a corrente e os aros. Estava pensando em investir numa suspensão e um câmbio traseiro Alivio para melhorar o desempenho até pagar a bike toda e resolver comprar minha proxima bike TOP que com certeza será uma aro 29. Infelizmente quando percebi que a T-Type não era a bike para o que eu estava procurando, a besteira ja estava feita.
    Agora veja se pode me dar uma ajuda?? O que você sugere quanto a suspensão? Queria algo melhor que a 80mm da T-Type mas que não fosse muito cara, porque ano que vem troco de bike. No final vou ter uma T-Type melhorada e uma SCOTT aro 29 !! rs.
    Se Deus quiser!
    Obrigado, abraço!
    Danilo

    • Oi Danilo! Rapaz, bom saber que, se no seu caso chegamos atrasados, pelo menos estamos conscientizando.
      Olhe só, não ponha dinheiro bom em cima de dinheiro ruim. A T-type não é uma MTB, nem nunca será.
      Só câmbio, ou um garfo básico não vão melhorar ela em quase nada. Para melhorá-la, você teria de trocar quadro, garfo, grupo e aros (esse último já foi, né?). Então, qual é o sentido?
      Pedale na T-type até poder comprar uma MTB de verdade, venda ela pelo que der e seja feliz.
      Grande abraço, e bem vindo ao mundo do MTB. Você vai ficar mais pobre, mas também mais feliz! 😀

  3. Danilo Galvão

    Salve !!! Menos de 2 meses se passaram desde a compra errada da T-Type e ja deu pra me apaixonar pelo MTB.. já quero trocar de bike, inicialmente resolvi investir até R$ 2.500,00 agora je penso em R$ 3.000,00 ou, no MÁXIMO, R$ 3.500,00 !!! Queria saber sua opinião.. com uma grana dessa, minhas opções aqui em Salvador-BA é uma MERIDA Matts 100 (24 marchas, grupo Alivio, suspa de entrada.. etc.) ou Uma SOUL 500 (30 marchas, grupo Deore, suspa Rock Shok básica, etc…)? Amanhã vou numa loja que vende SCOTT ver o que acho com esse investimento… Pensei na CALOI 2.7 também.. e ouvi falar na GT All-Terra que está de aproximadamente R$ 2.300,00. Só tenho interesse em Aro 26 mesmo… o que você acha que devo pegar??
    PS: quero pegar essa bike ainda essa semana porque sábado já vou numa trilha com ela.
    Abraço e valeu!

    • Danilo, você está no caminho certo. Entre a Matts 100 e a Soul 500 não há o que discutir: a Soul é mais bike. Caloi 2.7 também é um ótimo custo x benefício, como já falamos aqui. A Scott… bem, depende do modelo. Manda aí o setup dela que a gente dá nossa opinião. Com 3.500,00 daria para comprar uma Scott Aspect 640 2013 (encontramos por R$ 3.399,00). Mas ela vem com grupo Acera e suspensão Suntour XCM HLO, o que consideramos um setup muito fraco para o valor pedido. Não consideramos um bom custo x benefício, ainda mais considerando que a linha Aspect é a linha de entrada da Scott.

  4. Danilo Galvão

    Fala DALAMAAOCAOSSS !!! Comprei a bike… espero não ter me precipitado novamente.. rsrs.. mas entre ela e a Soul 500 preferi a minha. O dono da loja me deu a oportunidade de dar um rolé nas duas.. ambas quadro 17 mas me senti muito melhor na que escolhi. Os grupos e componentes são bem semelhantes, a soul tem de melhor apenas o pedivela.. vamos deixar de suspense.. rs.. a bike foi essa aqui ó http://www.harobikes.com.br/mtb/bikes/xxc-performance/flightline-comp/ R$ 3.000,00 o cara ainda pegou a T-Type comprada no mês passado por R$ 750,00 e ainda dividiu a diferença em 5 X. Acho que ta valendo de maisss !!! Da uma olhada.. me diz o que acha da americana HARO.. sei que é campeã mundial de BMX.. tem alguma referência ?? foi uma boa escolha ?? Valeu Dalama… abraço!

    • Opa Danilo! Rapaz, você comprou muito bem! Haro é marca excelente, e a Bike escolhida é muito boa!
      E o negocio foi excelente, realmente receberam a T-type muitissimo bem.
      Grande compra! Parabéns!

  5. Danilo Galvão

    UFAAAAAA… que bom que aprovou!! rs. Amanha sentirei a diferença nas trilhas!! Valeu!! Abç.

  6. Isabel Batista

    Boa noite!! Gostaria de uma ajuda sua! Estou querendo começar a pedalar e estou procurando algumas opções (bikes de entrada). Ouvi falar da Specialized Myka, aquela mais básica, na faixa de R$ 1950,00 e também da Caloi Elite 2.4, por R$ 2.099,00 O ruim da Specialized é que não tem freio a disco. Entre as duas, qual você prefere?

    • Boa noite, Isabel! Existem vários modelos de Myka, mas acho que você está se referindo ao modelo de entrada, a HT. Embora a Specialized seja uma excelente marca (tenho uma Camber e adoro), seus modelos de entrada são MUITO básicos (e não é só o freio a disco da Myka que é fraco não, viu? Os câmbios dela são um horror!) e não são baratos. Isso os torna um mau custo x beneficio.
      Entre as duas, com certeza, a 2.4 é uma bike que proporcionará melhor performance.

  7. Isabel Batista

    Obrigada!!

  8. Boa tarde! Sei que este blog é voltado para a prática do MTB, mas estou com dificuldades em esclarecer algumas dúvidas com relação a compra de uma bike para uso urbano.
    Minha disponibilidade de recursos é bem restrita, por isso tenho olhado alguns modelos da caloi como a Montana, a Terra e a Aluminum. Qual delas seria melhor para esta finalidade?
    Devo comprar uma que tenha suspensão, como a caloi Andes? Ou isso apenas iria aumentar o peso da bike sem trazer muitos benefícios, já que se trata de uma peça de pouca qualidade?

    • Oi Leandro! Mesmo sabendo que não é para MTB, não tem problema, tentaremos ajudar, sim.
      Entre as opções, consideramos a Aluminum, pelo material do quadro, a melhor. Os componentes são bem similares.
      Em relação à Andes, não achamos melhor que a Aluminum, pelo mesmo motivo. Não que uma suspensão não ajude no uso urbano – diminui impactos em ruas de paralepípedos, por exemplo – mas é um up que você pode fazer depois, com uma suspensão de baixo custo.
      Vou lhe dizer o que não gostamos em todas elas: o câmbio. Esses trocadores grip shift baratos sã bem durinhos. Se você puder, com o tempo (mas antes do garfo), coloque um grupinho Acera 24, ou mesmo o SRAM Entusiasta.
      Abração!

  9. Poxa já comprei a Caloi HTX na pressa, pois preciso praticar exercicios e achei ela uma bela bicicleta para trilhas, já que moro perto da roça. Como faço para melhorá-la?

  10. Valeu, cara! Pesquisei e gostei muito do que você me indicou! Um abraço.

  11. Minha T-Type, que em junho faz 1 ano de comprada, já tem bons km rodados: 22km por dia e 40km nos finais de semana. Já troquei catraca, corrente e central (esse foi montado com folga na loja Centauro e deu problema – a Caloi mandou outro conjunto)…. Bom, pra trilha tem que melhorar muito, mas meu maior uso é na cidade e ela tá aguentando bem a porrada, apesar dos aros originais serem um lixo…. ainda vou demorar muito pra trocar ela por outra.

    • Isso, Oscar. É a nossa opinião, também: para uso urbano ela tem seu lugar, apesar dos componentes originais sofríveis, como os próprios usuários atestam. O problema é ela ser vendida como mtb, atividade para a qual ela não é indicada, e é por isso que nunca a sugeriremos para trilhas, mesmo para iniciantes.
      Há relatos de um problema de geometria que dificulta curvas fechadas, mas isso é mais sensível em trilhas, com pilotos mais experientes, que forçam mais a bike.

  12. Luís Gustavo

    Como muito se falou na T-Type, vou aproveitar o tópico (rsrsrs). Comprei uma para uso mais urbano e eventualmente para outras coisas. É usada e preciso trocar quase tudo. Por outro lado, praticamente paguei só o quadro. O que vc aconselha para melhor a bike pensando num uso híbrido, se assim posso dizer. Obrigado

    • Olá Luis Gustavo!
      Olha só, na nossa opinião o quadro da T-Type não é legal, com problemas de geometria. Tem um design diferente, que chama a atenção, mas não é eficiente. A gancheira fixa é outro limitador. Nada impede, contudo, de você mantê-la, se está satisfeito com ela.
      Se você realmente quiser fazer ups (não achamos que seja bom gasto de dinheiro, mas vá lá), sugerimos trocar os aros (a reclamação é generalizada) por Vzan Extreme (R$ 40,00 cada*); um upgrade mais caro seria a instalação de um grupo Acera 27V completo (R$550,00) e por fim a instalação de um garfo básico, como a RST Gila ou Suntour XCM V3 (R$ 280,00). Claro, isso não sai barato, e na ossa opinião – sem nenhuma ironia – só se justificaria se você trocasse o quadro depois, por um Mosso ou mesmo um Canadian, para não investir demais. Aí você ficaria com uma MTB de verdade!
      Não esqueça de curtir nossa fanpage – é muito importante para nós: http://www.facebook.com/pages/Da-Lama-ao-Caos/333903203299235.
      Abração!!!!

      * os preços são estimados.

  13. Roger Kaufmann

    Estou querendo iniciar a andar de MTB e pesquisei a seguinte bike BICICLETA MOSSO 21V ALTUS COM SUSPENSÃO RST CAPA
    será que vale? é para andar no asfalto e pegar umas trilhas as vezes.

    Valeu… Roger

  14. Obrigado pela informação, mas entre essa MOSSO, a Caloi supra e SOUL BLACK RAIN. Qual seria a melhor escolha? A diferença de valores entre elas é de uns R$300 a mais na MOSSO.
    Agradeço sua opinião… Roger

    • Roger, acho a Mosso a melhor das três, e acho que vale os 300,00 a mais. Tanto o quadro como o garfo são melhores, e o grupo é equivalente.
      Abração!

  15. Obrigado pelas informações, acabei de comprar a mosso e já estou na expectativa pra dar uma volta. A princípio vou utilizar para andar 10km por dia, é 5km pra ir até beira mar em floripa e 5km para voltar, depois de uma caminhada. Más estou vendo com um amigo que participa de um grupo para andar com eles também.
    Ótimo blog…Um abraço.

  16. Sandro Brugger

    Boa noite. A minha dúvida é bem parecida com a do “Luis Gustavo”. Para asfalto e uma “brincadeira” ou outra, a T-TYPE ou SK Sport, qual delas se prestaria melhor a isso? Sei que o blog é para comentários e esclarecimentos sobre “MTB” porém, como tanto a T-TYPE ou SK Sport são designadas como “MTB”, embora concorde que a T-TYPE seja mais bonita do que apropriada ao MTB. Minha dúvida como citei anteriormente é qual das duas, seria adequada a encarar distâncias de 20 kms por dia em asfalto, subir, descer calçadas etc. Sei que parece uma pergunta boba, mas acho que pode ser a mesma de muitos outros leitores. Obrigado.

    • Sandro, desculpe a nossa intransigência (do bem), mas para nós aqui do blog, nem a T-Type nem a SK se prestam – ou são projetadas – para MTB.
      Você pode até fazer MTB com ela, mas é como pegar um carro de passeio e ir fazer um rally. Talvez você termine, talvez não.
      Não é uma pergunta boba. Como você mesmo diz, são muitos os que nos questionam sobre isso.
      Para pedalar na cidade, ambas são equivalentes. São bikes simples, pesadas, de geometria sofrível e não se prestam a transpor obstáculos urbanos, como subir ou descer guias ou pular lombadas. Os aros e o movimento central, pontos mais fracos de bikes já bem simples, estouram por nada.
      Mas, para passeios despretensiosos na cidade, elas servem, sim.
      Como última colocação, avaliamos que um quadro de geometria convencional, como o Canadian X-Terra, por exemplo, aliado a componentes de entrada (como um grupo Acera, com Vbrake) e aros Vzan extreme resultaria numa bike bem mlehor, que permitisse encarar trilhas de intensidade leve com segurança e tranquilidade.
      Abração, e por favor curta a nossa FanPage e fique ligado nas novidades, ok? http://www.facebook.com/pages/Da-Lama-ao-Caos/333903203299235.

  17. Gostei muito do post!! mas agora fiquei com muita dúvida, eu tenho uma Caloi supra que esse ano completa 17 anos!!! fiz todo tipo de trilha com ela, de 20Km a 100KM, nunca sequer quebrou a corrente ou algum componente (seria sorte?), claro q coloquei um kit alivio com o passar do tempo, porem nunca troquei cubos e nem aros (esse ja foi alinhado centenas de vezes), e agora estava pensando em pegar uma supra Atual, aquela que vem com uma susp. horrivel de 50mm, mas pelo que li aqui já não sei se compensa, pois tomei como base essa minha supra antiga de guerra que aguentou tudo sem chorar.

    • Renato, acho que foi sorte. Também não é uma bike que vá se desmanchar no pedal, é apenas uma bike fraca mesmo. As centenas alinhamentos dos aros (vamos por 1 por mês) não são um padrão aceitável. Uma boa MTB pode passar meses sem um alinhamento de aro.
      17 anos é muito tempo, com certeza ela pagou o dinheiro gasto.
      Para dizer se vale a pena pegar a 2013 depende do que você pretende e do seu nível de exigência, mas, em principio, não recomendamos a Supra 10 para MTB. As Supra 20 e 30 2013 estão ok para iniciar na modalidade.
      Curta a nossa FanPage e fique ligado nas novidades, ok? http://www.facebook.com/pages/Da-Lama-ao-Caos/333903203299235. Abração!

  18. Parabéns pelo site e pela disposição de responderem algumas perguntas que fogem ao tema MTB. Mas, aproveitando o ensejo…rsrsr.. ajudem-me por favor, pois sei que vocês tem experiência com quilômetros de pedaladas. Gostaria de comprar um bicicleta para uso urbano, e no máximo me aventurar em uma estrada de terra bem cuidada. O problema é que tenho dores na coluna e hernia de disco na lombar. A pergunta é o seguinte: para manter uma postura mais reta na bike, devo comprar uma bicicleta daquelas com guidon alto ? Muito obrigado a todos pela atenção !

    • Leonardo,
      O ideal é procurar um profissional de bike fit que esclareça para você essa questão, baseado na análise de seu biótipo e da geometria da bike que você pretende adquirir.
      Ele pode, também, indicar o modelo mais adequado para você.
      Infelizmente não podemos dar uma resposta mais conclusiva, pois isso seria irresponsabilidade da nossa parte, já que você possui uma condição medica limitante para o ciclismo.
      Abraços!

  19. Puxa,!! parabéns pelo site e toda esta disposição de ajudar a tantas indagações..!! e como não podia deixar de ser ai vai a minha..rsrs
    Comecei a pedalar achando que só ia ficar pelas ciclofaixas e comprei uma bike dobravél, e que até então estava mesmo dando conta,mas a coisa foi tomando tamanho e vontade de percursos mais longos como cicloviagens e com a minha pequena a coisa esta ficando pesado literalmente..rsrs. Estou super na duvida, tenho visto muita coisa e não estou conseguindo decidir, pois os preços variam muito e eu gostaria de algo pudesse me atender a estes passeios de fim de semana, que chegam a percorrer 70 a 100 km sem tanto sofrimento e sem gastar um fortuna..rsrs. tenho 1.60 . O que vc me indicaria? se puder me ajudar agradeço..

    • Oi Deborah!
      Para começo de conversa, para cicloviagens indicamos bikes aro 29. São muito mais adequadas para longas distâncias por terem uma rolagem muito melhor que as aro 26.
      Por outro lado, precisamos saber o que você considera “uma fortuna” para termos um parâmetro para indicar alguma coisa… 😀
      Começe olhando as Caloi Elite, Soul aro 29 e GT aro 29 também.
      Então, quando você achar algo no seu orçamento mande os links para a gente que analisaremos.
      Grande abraço!

      Se você gostou desta resposta, faça uma doação ao Da Lama ao Caos – Doe 5,00 ao DLAC Não há nenhuma obrigação, é claro; é um ato de reconhecimento voluntário pelo trabalho do blog – E curta a nossa FanPage ficando sempre em dia com as novidades, ok? Abraços!

%d blogueiros gostam disto: