Pedal de encaixe – usar ou não?

Esse é um passo importante… ou melhor, uma pedalada importante. Pedalar clipado é a linha que separa os “ciclistas” dos Ciclistas. E por que?
Bom, para o ciclista que pedala com o pé solto, o único movimento possível é o de empurrar o pedal para baixo com um pé, até a posição mais baixa do pedal. Nesse momento, a outra perna passa a empurrar o pedal oposto. Com isso, a pedalada tem apenas uma parte da eficiência possível.


Isso porque com o pedal de encaixe (nome correto do que chamamos “pedal clip”) o movimento é contínuo, ou seja, enquanto um pé está empurrando um pedal o outro pé está puxando o outro pedal para cima. Alguns artigos estimam em mais de 30% no ganho de pedalada.

E é fácil comprovar isso: pedalando clipado, você pode fazer só o movimento de compressão dos pedais durante uns minutos. Ao fazer o movimento completo, o aumento de velocidade é imediato.

Além disso, após estar acostumado (em poucas pedaladas), a sensação de segurança aumenta muito, ao contrário do que se possa pensar.

Um medo comum de quem nunca pedalou clipado é de não conseguir desclipar num momento de aperto… para que esse medo desapareça, é importante conhecer a anatomia do pedal de encaixe.

Pedal de encaixe Shimano M540

O pedal de encaixe tem, de cada um dos seus lados, presilhas que funcionam sob a ação de molas. No solado da sapatilha existe uma peça, chamada taco, que encaixa nestas presilhas quando o ciclista pisa sobre elas.

Tacos Shimano

A força com que estas presilhas prendem os tacos é regulável. Nos pedais Shimano como o mostrado acima, há um pequeno parafuso allen que, girado no sentido horário, faz com que a presilha prenda o taco com mais força e no sentido anti-horário tenha o encaixe facilitado. Logicamente recomenda-se que o iniciante coloque a regulagem no mínimo (com o parafuso todo distorcido) pois assim fica mais fácil clipar e desclipar. O único problema nessa situação é que o pé pode soltar durante a pedalada. Se isso acontecer frequentemente é só dar uma apertadinha (um click) no parafuso. Nestes pedais a regulagem vai de 1 a 10 clicks.

Parafuso de regulagem no pedal de encaixe Shimano M520


Bem, para clipar é só pisar no pedal. E para desclipar? Também é facílimo – basta girar o calcanhar para fora e o pedal desclipa. É um movimento fácil e suave que com pouco treino torna-se automático. O cuidado maior é não parar a bike sem desclipar antes – principalmente nas primeiras vezes, pois neste caso o tombo é certo. Também cuidar para não desclipar o pé esquerdo e inclinar a bike (parada) para a direita e vice-versa… parece brincadeira, mas acontece.

Já diz o velho ditado: “uma imagem vale por mil palavras”. Então vamos ver um excelente vídeo da Schwinn sobre como usar um pedal de encaixe. É em inglês, mas dá para entender só vendo.

Existem inúmeras marcas de pedais de encaixe. Vamos mostrar aqui 3 bem populares (não no sentido de barato, mas de muito usado). Quando você compra os pedais os tacos vem junto com eles (pois pedais diferentes podem ter sistemas de encaixe diferentes; ou seja, o pedal deve ter um taco correspondente ao sistema usado. Os tacos tem de ser instalados nas sapatilhas (a maioria dos tacos serve em quase todas as sapatilhas).

Pedal Shimano M770

Pedal Egg Beater

Os pedais Shimano (SPD) tem grande aceitação porque são os mais baratos (que funcionam!) disponíveis no mercado. Tem a grande vantagem de serem considerados for life, ou seja, pedais para toda a vida, pois diz a lenda que não quebram. O sistema de regulagens dele facilita bastante o inciante clipar e desclipar.

Os Egg Beaters são pedais considerados um nível acima dos Shimano SPD. A facilidade de encaixe é óbvia, e têm a vantagem de nunca juntar lama, o que eventualmente prejudicaria a clipagem. Além disso eles tem 4 pontos de clipagem, e os Shimano (e Exustar, vistos abaixo) apenas dois, então em qualquer posição a clipagem é rápida. No entanto eles são mais caros, e os modelos de entrada (mais caros que os Shimano) tradicionalmente apresentam folga depois de algum tempo, exigindo a substituição de um reparo. Os tacos, que são de latão (os Shimano são de aço) também se gastam precocemente.

Pedal Exustar

O Exustar é um pedal top de linha, como os Egg Beaters, muito leves, e que usam os tacos Shimano, por seguirem o padrão SPD. Também são mais caros do que os Shimano, mas tem uma legião fiel de seguidores.

Por falar em preço, o pedal de encaixe é um investimento razoável, pois além dos próprios (que vêm com os tacos) há o gasto com a sapatilha (que deve ser própria para MTB, no nosso caso. As de estradas tem o solado liso, e não são adequadas às trilhas). Um conjunto mais barato são dos pedais Shimano M520 (tidos como indestrutíveis) e sapatilhas Shimano M086 ou similares.

Sapatilha Shimano com fecho em velcro

Sapatilha Shimano com velcro e cadarço

Sapatilha Shimano com velcro modelo M160

Lembre de comprar um número maior do que o que você normalmente calça, pois os pés tendem a inchar em longos pedais, deixando-as apertadas. Lembre também que muitas vezes a numeração informada é a européia, menor que a nossa, então quem calça 40 (no Brasil) usaria uma sapatilha 42 (na numeração européia). Há ainda os modelos de cadarço e velcro. Eu prefiro os últimos, para não haver o perigo do cadarço enroscar no pedivela e me fazer beijar o chão, mas tem muita gente que prefere o contrário, porque diz que o velcro estraga mais rápido.

Sapatilha Specialized S-Works com solado de carbono. Caríssima, mas um sonho de consumo.

Ao comprar a sapatilha é preciso instalar os tacos que vieram junto com o pedal que você comprou. O melhor é que você peça a um profissional experiente para instalá-los (geralmente na loja onde você comprou os pedais). A instalação de tacos na posição incorreta pode causar dores no tornozelo, joelhos, quadril ou dormência nos pés. Mas, se você é do tipo “faça você mesmo”, também não há mistério algum. Há vários sites na web ensinando a instalar os tacos corretamente.

Não vou garantir que você não vai ter um acesso de leseira e cair com o pedal. Pode acontecer (que seja na areia, pelo menos). Mas se o pedal estiver regulado direitinho e se você treinar um pouco antes de sair, pedalando com atenção, vai ser tranquilo. Eu, particularmente, nunca caí (por causa do pedal de encaixe). Não tenha medo também de, no caso de uma queda, você ficar enganchado no pedal, rolando ribanceira abaixo com sua bike agarrada nos pés. No caso de uma queda esse será o menor dos seus problemas – a tendência é o pé desclipar do pedal automaticamente.

Resumindo, não tenha medo… faça esse up, lembrando que não é só um up na sua bike… é um up no seu pedal e na sua segurança como ciclista.

Anúncios

Publicado em 11/03/2011, em Conheça sua Bike e marcado como , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. 37 Comentários.

  1. Carlos Eduardo

    Realmente, seu blog é excelente, traz matérias ótimas. Então pelo que entendi o pedal do tipo Egg Beater seria o melhor? [Comentário transferido do Blogspot – Postado em 03/12/2011]

  2. Da Lama ao Caos

    Acho que o Egg Beater é o melhor, se peso e performance forem itens cruciais. Para o ciclista não-competitivo considero o Shimano M520 melhor custo-beneficio, pois é mais barato e dá (bem) menos manutenção. Abração! [Comentário transferido do Blogspot – Postado em 03/12/2011]

  3. Muito bom!!! Excelente blog. Tira várias dúvidas, principalmente para iniciantes como eu. Esse vai para a minha lista de blogs diários!!! Excelente post também!! Eu ri na parte de “…ficar enganchado no pedal, rolando ribanceira abaixo com sua baike agarrada nos pés…” Valeu. [Comentário transferido do Blogspot – Postado em 20/10/2011]

  4. Gostei da matéria, estava justamente pesquisando sobre pedais de encaixe antes da compra e estava interessado em adquirir um EGG Beater da Crank Brothers, justamente o modelo que vai me apresentar problemas após um certo tempo de uso. Acho que vou ficar com o Shimano mesmo. Obrigado!! [Comentário transferido do Blogspot – Postado em 15/10/2011]

  5. Da Lama ao Caos

    Opa amigo! A Crank Brothers, fabricante do EB, é uma das melhores marcas de produtos para ciclismo do mundo, indiscutivelmente. O mesmo se pode dizer dos EB. Mas, também é uma unanimidade que o EB apresenta folga com o tempo, exceto nos modelos top de linha, tendo, no entanto, reparos à venda para substituição das partes desgastadas. Outro problema que acho é a falta de regulagem para clipar e desclipar, que existe nos Shimano, que simplifica a vida dos iniciantes. O taco, de latão nos EB (de aço nos Shimano) também se desgasta mais rápido. Porém, os Egg beaters (todos os modelos), descontadas as considerações acima, clipam e desclipam facilmente, devido ao design inovador, e virtualmente não acumulam lama ou barro, o que pode comprometer o funcionamento. Como opinião pessoal, se fosse competidor, usaria EB (de ponta). Como ciclista amador, prefiro os Shimano. Abração, e obrigado pelos elogios! Divulgue o blog! [Comentário transferido do Blogspot – Postado em 15/10/2011]

  6. Excelente matéria. Parabens pelo blog. [Comentário transferido do Blogspot – Postado em 27/09/2011]

  7. Da Lama ao Caos

    Valeu, Tartarunner! Obrigado! Por favor, divulgue o blog por aí! [Comentário transferido do Blogspot – Postado em 27/09/2011]

  8. Da Lama ao Caos

    Recebi esse email muito legal do Francisco Martins, e o publico como comentário. É ótimo saber que o blog está ajudando. Por favor, divulguem! Caro amigo Paulo, Lembra-se daquela recomendação sobre o pedal clip mais a sapatilha? Eu não resisti e comprei uma sapatilha Shimano M087 junto com o pedal M520, e no último sábado pude testar o conjunto que é realmente excelente e dá outra sensação no pedal, que rende melhor principalmente nas subidas. A sapatilha é muito confortável e esquenta pouco nos pés e o pedal funciona muito bem tanto na hora de clipar ou desclipar. Felizmente nesse dia, mesmo sendo a primeira vez, não passei nenhum susto e já tinha mentalizado o desclipar antes de parar a bike. Enfim, novamente agradeço pela sua dica que foi fundamental nesse investimento que valeu muito pena! [Comentário transferido do Blogspot – Postado em 22/08/2011]

  9. gostei desse artigo tenho uma graaaande dúvida, quero comprar uma sapatilha e as lojas não me deixam claro se ao comprar as sapatilhas os pedais vem juntos que, eu não encontro aqui na cidade tenho que comprar pela net o que você me diz???? obrigado!

    • Opa Clebson! Não, sapatilha e pedal são comprados separados.
      O encaixe do pedal na sapatilha (taco) vem junto com o pedal, e não com ela, pois é especifico para os diversos sistemas de pedal.
      Sugiro, fortemente, o pedal Shimano M520. Dura uma eternidade, junta pouca lama, é fácil de clipar e desclipar e custa pouco mais de 100 reais.
      Se comprar a sapatilha na net lembre-se: compre um ou dois números (isso mesmo) maior que o que você calça. Os pés incham em pedais mais longos, e uma sapatilha apertada pode causar dores e dormências. Como uma sapatilha folgada também não é legal, certifique-se que a loja fará a troca sem ônus para você caso precise retornar o produto. A Netshoes, por exemplo, troca seus produtos sem cobrar frete de retorno (não é propaganda, nem sei se lá vende sapatilha). Mas o melhor, mesmo, é experimentar.

  10. boa, rs, li agora o blog, claro, acabei de tomar um chão, instalei o pedal clip e nem fui conferir como desclipar, na hora que parei a bike, chão rs, mas não rolou escoriações, tipo tombo de lesado. rs, mas dúvidas esclarecidas, vlw

  11. Concordo plenamente. Estou usando ha mais de um mês, e so tenho elogios. Foi a melhor escolha desde que começei a pedalar. Já tinha os pedais guardados a quase 2 anos; antes usava pedais GTS MTB, e ha alguns meses estava usando firma pé (não recomendo para MTB acho muito perigos) e foi bom pra me acostumar com os pés presos no pedal e aprender a pedalar puxando o pedal. Caí varias vezes com o firma pé, ate contundi o
    polegar em uma das quedas, mas nada como gelo em cima e já tava bom no outro dia.
    Acredite se quiser: não caí nenhuma vez até agora com os pedais clip. Passei por varias descidas técnicas
    quando precisava parar a bike em emergência na decida num clic estava com o pé no chão.
    Agora meu pedal esta redondo, senti um grande aumento de potência-ritmo-performance-segurança, recomendo para todos que buscam agilidade e técnica no mtb, comprem! R$100,00 do pedal, 190,0 da sapatilha, o investimento vale a pena. Vai por mim!
    Pedalo em uma GIOS X3, uso pedais Shimano M525 (pedais clip que duram muito mesmo, vale a pena) e sapatilha, que recomendo Loba XC pra quem não quer gastar muito, na minha opinião é a que tem melhor custo x beneficio do mercado. É boa e vem com travas de aluminio pra você colocar se quiser.

  12. Olá! Tenho acompanhado o blog, diariamente! Muito bom mesmo, parabéns!
    Uso os pedais Shimano e minha grande dificuldade é na lama. Com a sapatilha/pedal imundos, é difícil de clipar e muuuuito difícil de desclipar.
    Limpo é uma beleza, mas sujou, ferrou….e me dá uma sensação de insegurança nestas situações, pois, mesmo regulado do jeito mais fácil de desclipar, realmente é difícil! Um ano de uso e ainda tenho dificuldade na lama…..
    Com os Egg Beaters, existe este problema?

    • Arany, sinceramente, uso os mesmos M520 há 5 anos e nunca dou manutenção maior do que lavar e lubrificá-los com silicone 3M spray. Pouquíssimas vezes tive algum problema em clipar (em desclipar, nunca). Já peguei muita lama, mesmo. Não será que o seu está com defeito ou com a mola muito presa? Ou ainda, os tacos com desgaste (embora aí a dificuldade em geral seja de clipar)?
      De qualquer maneira, cada caso é um caso. E, de fato, os EB são incomparáveis nessa questão. Clipam e desclipam num piscar de olhos, e é praticamente impossível juntar lama. O problema é que dão mais manutenção – você tem que ficar de olho em folga nos eixos e desgaste dos tacos, que por serem de latão, realmente se acabam mais rápido que os de aço. Dê uma olhada aqui:https://dalamaaocaosbike.wordpress.com/2011/03/11/pedal-de-encaixe-usar-ou-nao-2/#more-555
      Grande abraço, curta a nossa FanPage e fique ligado nas novidades, ok? http://www.facebook.com/pages/Da-Lama-ao-Caos/333903203299235.

  13. Valeu! Obrigado pela resposta!
    Vou checar todo o conjunto, mas talvez eu me aventure com os Eggs…., mesmo considerando a manutenção.
    Limpinho e lubrificado o Shimano é nota 10!
    Mas eu fico muito inseguro na lama! E o verão tá chegando e a previsão é de pedal muito sujo nos próximos meses….
    Obrigado! Vou continuar ligado no blog!

  14. Cara, li um artigo sobre empurrar e puxar os pedais,e não faz diferença nenhuma se só empurra ou se empurrar e puxar.

    • Olá, Bruno! Já respondemos a você por email (o site estava com problemas nos comentários), mas como é um assunto de interesse geral, vamos acrescentar mais alguns argumentos a favor da nossa posição.
      Não consideramos o assunto nem sequer controverso, visto que é muito fácil comprovar um ganho de rendimento instantâneo pedalando com puxada, com a utilização de um medidor de potência. Sem querer discutir contra os argumentos de Marcelo Rocha, bike fitter, citados no post do site mencionado por você, temos de dizer que não conseguimos abrir o artigo original , onde ele provavelmente embasa de modo científico as suas impressões (o link não funciona).
      De nossa parte, temos a contra-argumentação do respeitadíssimo bike fitter Thiago Ayala, autor – entre outros – do artigo “CINESIOLOGIA E BIOMECÂNICA DO CICLISMO: UMA REVISÃO“, leitura, aliás, que recomendamos a todos os que se interessarem pelo assunto.
      Questionamos Thiago sobre o assunto, e a resposta dele, que tem bem mais propriedade para discorrer sobre o assunto do que nós, que somos leigos, vem a seguir:
      “Deixa eu dar minha opinião (como ciclista e leitor de artigos científicos): Puxar o pedal na fase de recuperação (180 graus -> 360 graus) é uma condição que ocorre em certas ocasiões, como sprints e aclives. O gasto energético e a dificuldade de processar este movimento na mesma eficiência em que o quadríceps relacionado a esta prática é talvez o principal motivo pelo qual ciclistas geralmente não puxam o pedal na fase de recuperação em tempo integral. Além disso a eficiência muscular do quadríceps na fase de propulsão é muito maior que a dos isquiotibiais na fase de recuperação e, por esta razão, é mais vantagem fisiologicamente focar empurrar o pedal do que puxar. O mais habilidoso ciclista reserva a puxada para os sprints e aclives, onde os isquios entram como sinergistas (colaboradores) com o movimento de pedalar. Outro detalhe a ser considerado é a ocorrência de músculos biarticulares no quadríceps (reto-femoral), assim se o ciclista prioriza usar este músculo como flexor do quadril ele perde potência do mesmo como extensor do joelho (Leia sobre PARADOXO DE LOMBARD). Um exemplo: o maior sprintista do mundo, Mark Cavendish, faz uso da cadeia posterior e anterior no seu máximo, pois é um ATAQUE de segundos, e sendo curto assim é mais fácil manter a propriocepção/controle motor. Ainda que ele não imagine que use a cadeia posterior, como posto aqui, é fisiologicamente esperado. A discussão é longa, mas vou ficando por aqui, por enquanto”.
      Assim, nos parece que, em determinadas situações, é, sim, vantajoso empurrar e puxar o pedal.

  15. Boa Noite
    Vi esse pedal da Exustar na [editado]: Pedal Exustar MTB E-Pm212
    [link editado]

    No anúncio informa que ele é compatível com o Taquinho SPD. Hoje estou usando o pedal Shimano Pd M505, já bem surrado. Estes dois pedais utilizam o mesmo taco (posso reaproveitar o taco quando trocar de pedal, correto?).

    Você conhece esse mode da Exustar? É mais leve e melhor do que o M505

    • Roberto, Exustar é um bom pedal, mas não temos informações sobre a durabilidade ou peso deste modelo em particular. Por outro lado, consideramos o Shimano M520 como o melhor cxb em se tratando de pedais de encaixe. Confiáveis e quase indestrutíveis.
      Você pode reaproveitar o taco, mas em geral um taco novo acompanha o pedal.
      Curta a nossa FanPage e fique ligado nas novidades, ok? http://www.facebook.com/pages/Da-Lama-ao-Caos/333903203299235. Abraços!

  16. Parabéns Galera
    Excelente artigo!
    Hugo Kreonte

  17. Erismar dragon

    Valeu pelas informações, vou ver a compra dos pedais proximo mês pois esse mês peguei uma suspa a AR. Parabens mais uma vez! Está ajudando muita gente!

  18. Raimundo Machado Neto

    Caros senhores, sou iniciante no Mtb e faço por lazer sem pretensões de me tornar atleta. Quero usar os pedais clipados para ter melhor rendimento e aproveitar melhor as pedaladas. Li sobre vários tipos de pedais e vi os Pedais shimano Click’R para iniciantes. Qual a opinião de vocês sobre este pedal?
    abs

    • Fala Raimundo!
      Os pedais Click’R prometem uma clipagem e desclipagem mais fácil que os tradicionais SPD, reduzindo a força de clipagem em 60% e de desclipagem em 50% em relação a estes.
      Particularmente não vejo vantagem alguma nisso, já que os SPDs são facílimos de clipar e desclipar, e além disso podem ser regulados até ficarem tão fácil de desclipar que, quando regulados no mínimo, podem desclipar sozinhos numa pedalada mais forte.
      Na nossa opinião, os SPDs ainda são uma escolha mais certa, pois tem eficiência e durabilidade comprovada por anos. Os M520 são considerados, por nós do blog, a escolha perfeita em custo x benefício.
      Não esqueça: Curta a nossa FanPage e fique ligado nas novidades, ok? http://www.facebook.com/pages/Da-Lama-ao-Caos/333903203299235. Abraços!

  19. Raimundo Machado Neto

    Valeu pela resposta. Vamos ter coragem para pedalar clipado!

  20. Erismar dragon

    E ai amigo comprei os pedais indicados m520, agora só falta a sapatilha! Vai ficar para o próximo mês. Agora mais uma pergunta: Gostaria de montar um bom grupo xt, mas são tantas referências que tenho receio em montar algo que não case bem. por isso peço que se possivél me indique por refência um grupo completo para 30V. Poderia colocar um pé de vela deore e o resto xt? Vi um que os dentes eram 48 36 26, parece muito pesado pra empurrar.

    • Opa, Erismar! Rapaz, o grupo XT é um só. Quer dizer, mais ou menos, porque o cambio dianteiro tem variações, como abraçadeira alta ou baixa, puxando por cima ou por baixo, e ainda o direct mount, que não tem abraçadeira – é parafusado direto no quadro. O ideal é ir numa oficina para ver qual é a opção para seu quadro.
      O pedivela pode ser Deore (vai funcionar bem, apenas será um pouco mais pesado), desde que para 30V também. Eu acho uma boa relação de coroas 22-32-44. Não é difícil de achar. Essa aí que você citou é meio pesada (para pedalar mesmo) – o pessoal que faz estradão e “mountain asfalto” (mountain bike no asfalto, hehehe) é quem gosta.
      Uma opção bem legal (e mais barata) é um grupo fechado SLX, que fica entre o Deore e o XT. Acho muito bom, certamente será meu próximo grupo.
      Grande abraço!

  21. Erismar dragon

    Valeu pela dica! Só tenho que me aguentar alguns meses agora pois já gastei pra caramba! Vc está sempre mostrando o caminho do melhor cxb e é isso que torna o blog um sucesso pois são opções possíveis de alcançar e que geram grnades resultados. Parabens!

  22. Erismar dragon

    Como sei se é cambio medio ou longo? Digo como faço pra saber se o que devo usar na minha bike?

  23. Erismar dragon

    Rapa encontrei XT T780 10V, XT M772 9V, XT M786 10V, XT M770 9V, XT M781 10V, XT M780 10V, XT M771 9V ufa!!! Ufa inda via mais! Mas vamos lá eu quero um conjutocom 30 V, mas tem vários cambios de 10V. Essa salada de letras tem haver com modelo ano?

    • Opa Erismar. Essa deu trabalho.
      M770, M771 e M772 são 9V, então descarte.
      M773 é um modelo um pouco mais antigo (2011), também para 10V. Muito parecido com os seguintes, que são apenas um pouquinho mais leves.
      Tanto o M780 como o M781 e M786 são 10V.
      A diferença do M780 para M781 é a seguinte: o 781 é possível remover uma pecinha na parte que prende o câmbio à gancheira, permitindo que ele seja preso da forma “direct mount”. Provavelmente não fará a menor diferença para você.
      O M786 tem a tecnologia Shadow Plus, que já havia sido introduzida nos câmbios XTR. Veja, também, se vale a pena investir nisso, já que ele deve ser mais caro.

  24. Erismar dragon

    Cara, mais uma vez muito obrigado pelas informações! Pelo que entendi o M780 ou M781 vão me ajudar bastante (uso acera), tenho me dado bem utilizando suas dicas, realmente muito técnico! Devia montar uma loja seria cliente certo. Já estou usando a suspa a ar, muito show e depois de umas reguladas está uma manteiga! Valeu um abraço!

    • Com certeza o XT dará muito certo!
      Obrigado pelos elogios, mas entre escrever um blog e ser bom comerciante tem uma distancia muito grande, rs.
      Abração!

  25. Kleber Felicio

    Comprei uma Caloi Elite 30, e ela já veio com o Egg Beater Candy. É um bom pedal? Vale a pena investir em uma sapatilha para usufruir desse pedal? Há boas sapatilhas com preço razoável?
    Parabéns pelo seu trabalho informativo.
    Tem me ajudado muito!!

    • Oi Kleber!

      Pessoalmente não gosto muito do EB Candy, simplesmente porque não gosto de pedais mistos.

      Mas é um bom pedal, na sua categoria, e vale MUITO comprar as sapatilhas para usufruir tudo que o pedal de encaixe oferece! Há muitas boas sapatilhas no mercado, de valor razoável, como a maioria das Shimano.

      Se você gostou desta resposta, faça uma doação ao Da Lama ao Caos – Doe 5,00 ao DLAC Não há nenhuma obrigação, é claro; é um ato de reconhecimento voluntário pelo trabalho do blog – E curta a nossa FanPage ficando sempre em dia com as novidades, ok? Abraços!

  26. Cada vez me convenço mais da segurança e eficiência de pedais de encaixe. Os clipless são o máximo!
    Claro, respeitamos opiniões contrárias, em geral de ciclistas inexperientes… ou que não façam mountain bike.
    No MTB a eficiência do clipless é demonstrada em toda a sua força… Não precisa de coragem para usar, é mais uma questão de autoconfiança – e inteligência.
    E speed, no asfalto? Não se imagina um road biker pedalando com o pé solto. Isso sim, é uma temeridade.

  27. Alguns comentários sobre pedal de encaixe (e outros temas) não estão sendo publicados por terem características de Spam/Trollagem, detectadas pelo nosso sistema.

    Lembramos, ainda, que os comentários são moderados e que é nossa prerrogativa única e exclusiva publicá-los ou não, por qualquer motivo.

%d blogueiros gostam disto: