Conhecendo sua Bike – Manitou R7: Absoluta!

Olá pessoal… estou postando hoje para dar minhas impressões sobre um brinquedinho novo. Acabei de estrear um novo garfo: o Manitou R7 Absolute+. Para quem não sabe, antes usava uma Rock Shox Tora.

A Tora não é uma suspensão top, mas funciona muito bem. Contra ela pesam o sistema de amortecimento (óleo e mola) e o peso. Assim, acaba que ela não lê tão bem o terreno, e o cidadão acaba carregando meio quilo a mais (peso da Tora: 2130g x peso da R7: 1610g, ambas pesadas por mim).

Comparo as duas porque o preço delas aqui no Brasil, se não é equivalente, pesa contra a RS, que é (bem) mais cara que a Manitou. É o peso da marca.

A R7 é uma suspensão que usa o sistema ar-óleo. A vantagem mais óbvia do sistema é substituir uma mola de aço por um sistema que usa o ar como alternativa, retirando assim um bom peso do conjunto. Além disso, a regulagem de preload (ou seja, o quanto a suspensão deve ficar mais dura ou mais mole, dependendo do peso do ciclista) é feita facilmente bombeando-se ou retirando o ar da suspensão com uma bombinha apropriada. Na canela esquerda a R7 usa o sistema TS Air. Segundo a Manitou:

TSAiré um sistema simples e confiável de mola pneumática de alto desempenho e retentores de incomparável eficiência e durabilidade. A força da mola aumenta ligeiramente com a compressão no sentido de prevenir o indesejado fim-de-curso.


A R7 funciona com perfeição. Ao contrário da Tora que eu usava anteriormente, quando travada ela torna-se um garfo rígido, excelente para dar pressão pedalando em pé ou em terrenos lisos, sem nenhuma perda de energia (a Tora tem um pequeno joguinho quando travada). A trava Milo, que vem junto com a suspensão, fica bem a mão no guidon. É fininha, pode ser colocada em qualquer ponto (coloquei a minha entre o manete de freio e os trocadores) e muito macia de acionar.



A R7 com trava MILo


Tanto a Tora como a R7 possuem no seu sistema de trava um detalhe de segurança que destrava a supensão automaticamente no caso de estar travada na hora de um grande impacto.
A R7 Absolute Plus originalmente possui um botão com seis posições de compressão, de livre até totalmente travada. No modelo com trava Milo essa opção desaparece, restando as opções travada ou solta com a trava Milo do guidon. Não achei que atrapalhasse ou perdesse nada com isso, mas pode ser uma limitação da trava Milo para alguns. Abaixo mostro uma imagem do sistema Absolute de compressão:



Sistema Absolute da R7


Em terrenos acidentados, a R7 é mesmo absoluta… só um buraco MUITO grande para deixar você sentir o impacto. Numa trilha mais casca isso vai resultar em mais conforto e menos dores nos braços. Testei-a na famigerada trilha da casa de pedra (que aliás está chata, com muita areia solta) e não aliviei nos trechos mais acidentados. A suspensão recebeu nota 10. Ainda quero voltar com meu grande companheiro Charles para a trilha de Georgino Avelino, cheia de costelinhas que arrebentaram meus braços (enquanto ele, com sua Fox Talas parecia estar pedalando no asfalto…) pra ver o que acontece!

Depois fui numa falésia, na praia de Cotovelo, e desci o que praticamente era uma escadaria de barro, pedalando forte. A sensação de segurança é enorme! Nada do braço ficar pulando, com o risco de soltar o guidon num buraco maior…

Nos reviews que li na internet antes de comprar (obrigatórios) nada vi desabonador desta suspensão, nem da sua durabilidade. O modelo 2009 apresentava um ruído na operação, que foi sanado pela Manitou nos modelos posteriores (com a simples troca de uma arruela).
Enfim, estou muito satisfeito com o garfo.



A Manitou R7


Algumas fotos da trilha:

A Manitou na minha Giant XTC Team



Um belo visual da praia do Cotovelo - RN




Onde eu moro não é show de bola?



Para saber mais: Manitou R7

Anúncios

Publicado em 05/02/2011, em Reviews. Adicione o link aos favoritos. 10 Comentários.

  1. E aí amigo, continua usando sua Manitou? Algum problema? Estou pensando em comprar uma. [Comentário transferido do Blogspot – Postado em 14/10/2011]

  2. Da Lama ao Caos

    Continuo. Aliás, troquei de bike mas continuo com a mesma suspensão. O funcionamento é perfeito, não dá para dizer de outra forma. A trava MILo, no entanto, ficou, com o tempo, meio durinha de travar. Uso o indicador para baixar a trava e o polegar para apertar simultaneamente o botão de destravar, e então ela funciona bem, mas é meio chatinho de fazer isso até pegar a prática. Creio ser um pequeno defeito mesmo. Acho um excelente custo-benefício, principalmente considerando o peso dela. Recomendo! [Comentário transferido do Blogspot – Postado em 14/10/2011]

  3. Amigo, no site da Manitou não achei o modelo dessa suspa, como faço pra encontrar mais informações dela ?

    • A MRD é cerca de 170g mais leve que a PRO (1362g contra 1533g – na de 80mm, pesos informados pelo fabricante), talvez devido ao crown mais vazado e o sistema de amortecimento e retorno, que apesar de ser o mesmo (Absolute+), é do tipo cartucho (cartridge) na MRD, o que talvez reduza um pouco o peso também. Mas o funcionamento de ambas é ótimo e extremamente similar.

  4. Joab Araújo

    A minha suspensão é uma Manitou R7 PRO com trava MILo no guidão. O que quebrou foi o botãozinho branco de liberação: eu acionei tipo uma alavanquinha de metal que puxa o cabo para que ela trave, e quando acionei o botão branco que fica abaixo para soltar (destravar) o cabo permaneceu intacto. Nesta hora meu coração gelou, eu disse logo: “quer ver essa merda ter quebrado“? Dito e feito: quando desmontei para ver o resultado o botão tinha quebrado em uns 3 pedaços!
    A trava MILo custa em torno dos 349,00. É claro que eu não sou idiota de comprar algo que irá quebrar novamente, por isso estou comprando a trava da RST First para substituir a MILo (que custa 109,00 1/3 do valor desta porcaria de trava que vem na R7 PRO). Por outro lado, esse é o único ponto negativo desta suspensão. Nos outros requisitos ela é nota 10!

    • Opa Joab! Legal o seu depoimento. Na minha MILo tive problema semelhante: a MILo só trava se eu apertar um pouco (e simultaneamente) o botão de plástico junto com o de metal. Ainda não quebrou, e de toda forma é um probleminha muito chato.
      Você tem certeza que a da First serve na R7?

  5. Como fica a leitura de terreno dela em relação a First? Já vi algumas pessoas falando que são idênticas, e outras até afirmando que preferem a RST à Manitou.

    • Fala Melk! Como opinião PESSOAL prefiro a R7. Mas preciso dizer que não tenho nenhum fundamento técnico para fazer essa afirmação.
      Ambos são garfos intermediários, pneumáticos e trabalham bem.
      Nos testes que fiz achei que a R7, com
      regulagem semelhante, trabalhava melhor. Mas eram bikes diferentes, e foi uma coisa dependente da minha sensibilidade, mesmo.
      Para ser honesto, eu colocaria as duas exatamente no mesmo patamar.

%d blogueiros gostam disto: