Lavagem da bike

Um amigo me mandou um email questionando se poderia lavar a sua bike, pois fora informado numa bike shop “que não é muito bom lavar a bike com frequência, pois poderia entrar água e tal“.
Pela utilidade pública do assunto, posto aqui a resposta (levemente editada) que lhe mandei:

Em relação a lavar a bike…

Bike não é de papel nem de açucar 🙂
Muito menos mountain bike, que é pra encarar trilha, lama, areia, água, pedra, riacho, o que vier.
A questão é que alguns rolamentos não são perfeitamente impermeáveis. Eles estão na caixa de direção, nos cubos e no movimento central. Mas, em grande parte das mountain bikes eles são os melhores possíveis, com um selamento muito eficiente.
Nada que impeça ou limite uma boa lavagem.
O que é recomendável é, por exemplo, não utilizar lavadoras de alta pressão, como lava-jatos, ou, no seu caso, a mangueira do prédio com muita força (pois geralmente a mangueira do térreo tem uma força danada). Mas pode molhar, sem medo.
Uma coisa importante é tirar a corrente de vez em quando. A corrente SRAM tem originalmente um Powerlink, e tirá-la é um procedimento muito fácil. Em correntes Shimano recomendo instalar um – apenas observe, ao comprar, se o Powerlink (a marca é SRAM, mas serve perfeitamente em correntes Shimano) é para correntes de 8V, 9V ou 10V, pois um não serve na outra. O ideal é levar à bicicletaria para instalá-lo a primeira vez.

Powerlink SRAM
Muito útil para retirar a corrente para limpeza.
Mas só é necessário retirar a corrente para limpar quando estiver com muita areia. É uma questão de bom senso.
Eu uso, no dia-a-dia, um desengraxante comum, o Becker Clean Grease, e uma escovinha, para limpar o melhor possível. Veja Limpeza Pesada também serve, mas sai mais caro. Depois, lubrifico com Finish Line Seco (Vermelho), e uso spray de Silicone 3M no resto (câmbios, parafusos diversos, suspensão).

Becker Clean Grease

Se estiver sujíssimo, ou se peguei lama molhada, tiro a corrente, ponho ela numa garrafa de água mineral de 5L (vazia) e coloco 1 dedo de óleo diesel e sacudo, sacudo, sacudo. Faço isso duas vezes.

É importante atentar para o descarte do óleo. Ponho o óleo diesel usado numa garrafa pet e deixo em postos de gasolina, que são obrigados, por lei, a ter formas corretas de descarte para tais resíduos. Existem, no entanto, desengraxantes biodegradáveis, que são mais ecologicamente corretos, mas não tão fáceis de encontrar aqui no Estado.
Depois do óleo, coloco o desengraxante e sacudo, sacudo. A seguir enxáguo com bastante água até sair todo o desengraxante. Nessa hora, passando um pano velho na corrente não é pra ficar nenhuma graxa no pano (o pano tem que sair quase limpo).
Aí é por no lugar de novo e lubrificar com Finish Line.
Esse procedimento só é necessário de vez em quando. Não dá para dizer o período, mas o bom senso diz se é hora de limpar a corrente com força (tirando) ou se basta a lavada básica (no local).
Não coloco óleo diesel direto na corrente na bike (com ela no lugar), nem no cassete ou coroas, porque ele pode ir pros rolamentos e tirar a graxa deles. Aí sim, é problemático.


Anúncios

Publicado em 04/11/2010, em Conheça sua Bike, Limpando a sua Bike e marcado como , , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. 4 Comentários.

  1. Boa noite DLAC!
    Você usa alguma coisa para limpar o quadro? Muita gente fala em passar cera de carro para dar brilho ou limpar com silicone líquido. Pode?
    Abraço!

    • Oi Marcio! Boa noite! Olhe só, eu só lavo com desengordurante e pronto. Mas, se tiver alguma marca (tipo de conduítes raspando no quadro), você pode passar cera automotiva. Também creio não haver problema com uso de silicone liquido. Aliás, o silicone aerosol 3M é meu lubrificante preferido para câmbios, trocadores, pedais e interior de conduítes.
      Ah, e Curta a nossa FanPage e fique ligado nas novidades, ok? http://www.facebook.com/pages/Da-Lama-ao-Caos/333903203299235. Abraços!

  2. No caso de correntes sem o power link, como removê-las?

%d blogueiros gostam disto: