Bike Rally da Independência

Sábado participamos do Rally da Independência… Pra quem não sabe, o rally é uma competição de regularidade, onde duplas de competidores têm que completar um percurso em velocidades médias predeterminadas.


Na véspera da prova os competidores recebem uma planilha com indicações de pontos de referência e as velocidades médias em cada trecho. Em cada ponto marcado na planilha está determinada a hora, minuto e segundo na qual a dupla deverá passar pelo referido ponto. Até aí, tudo bem… mas a complicação é que os tempos de passagens são controlados por pessoas que ficam em locais desconhecidos (chamados PCs – postos de controle), no meio do percurso. Então, mesmo que em um determinado ponto marcado na planilha você esteja no tempo certo, e no ponto seguinte também, nada garante que entre um ponto e outro você não esteja adiantado ou atrasado, e desgraçadamente, nesse momento, pode haver um PC. Manter a velocidade média exata com tolerância de 10 segundos para atraso e nenhuma para adiantamento não é tarefa fácil.
Além disso, a interpretação das indicações da planilha, ainda que não seja nada de outro mundo, pode ficar complicada: você está pedalando, olhando para o terreno, para o ciclocomputador, para o cronômetro e para a planilha ao mesmo tempo (a planilha é um rolinho, instalada num dispositivo chamado rollbook, que fica preso no guidon – e para complicar ainda mais você tem que ir girando um botão com a mão, à medida que passa por cada ponto). Então acontece de você fazer um zigue quando era pra fazer um zague, e aí… você se perdeu.
Em geral em minutos o erro é corrigido. Mas esses minutos podem detonar a sua chance de ficar entre os 10 primeiros.
A organização perfeita da Expedição Carcará torna a prova muito agradável para iniciantes. O percurso na Categoria Turismo é entre 20-25km, sempre muito bem planilhado, e sempre existe a possibilidade de resgate pela organização em caso de algum problema (a ocorrência é remotíssima! Nunca vi ninguém machucado, mas a bike pode quebrar, furar os dois pneus, algo assim). Aconselho a todos que gostam de um bom MTB se inscrever e participar de uma prova – é diversão segura e garantida. Serve para pais e filhos, casais e amigos, e a maioria vai no espírito just for fun. O clima entre os competidores e a camaradagem são muito bons mesmo.
A prova de Sábado foi em Ielmo Marinho, Distante pouco mais de 50 km,e a Oeste de Natal. Estava MUITO quente, o que exigiu bastante hidratação dos competidores, mas, no que se refere à exigência física dos ciclistas, a prova foi fácil. Sem grandes desníveis ou areia fofa – os grandes inimigos dos MTBikers – as médias puderam ser cumpridas com tranquilidade. Alguns trechos tinham uma navegação um pouco complicada, mas no geral dava para seguir na boa. Provas que exigem pouco do físico, contudo, tem uma peculiaridade: os melhores navegadores ou zeram ou chegam muito perto de zerar vários PCs (zerar um PC = passar no tempo exato), então, paradoxalmente, chegar nos primeiros é mais difícil. Ou seja, é nivelada por cima.
Cometemos um pequeno erro, de menos de um minuto, mas incrivelmente conseguimos recuperar o atraso antes do próximo PC – olha só que ironia: foi a nossa segunda melhor passagem de PC com apenas 3 segundos de atraso!
Pelos tempos de passagem nos PCs informados depois da prova ficamos em 3º (aguardando ainda o resultado oficial). A margem foi apertada – na soma dos tempos ficamos com 58 pontos (o que significa 58 segundos atrasados, descontando-se os 10 segundos de tolerância e somando-se os tempos dos 6 PCs), o que não é mau numa prova de 25 km e duas horas e meia.
Depois de uma primeira prova ruim (O Bike Rally de Verão), quando cometemos um erro de 5 minutos que nos deixou em 18º lugar, seguiram-se dois 5º lugares (No Rally da Chuva e no Rally da Serra) e por fim realizamos o sonho de ficar nos Top 3. Além disso, nossa colocação no Circuito (que tem 5 provas – a última será dia 20 de Novembro – O Rally da Lua) subiu, e agora a Equipe Da Lama ao Caos é Top 5, entre 46 inscritos. Nada mal para uma equipe estreante, né?
Os novos pneus Maxxis (High Roller atrás e Larsen TT na frente) que instalei na minha bike provaram ser sensacionais na areia e estradão, embora em subidas com cascalho tenha faltado um pouco de tração, mas isso já era esperado. Uma opção perfeita, que diminuiu meio quilo de peso nas rodas e aumentou incrivelmente a rolagem da bike no estradão.
Buriza e Lady Gaga cumpriram a prova com louvor – nenhuma marcha errada, nenhum pneu furado, tudo perfeito. Palmas para as meninas.
As fotos vêm logo logo.
Agora é treinar um pouco para o Rally da Lua e tentar manter o Top 5.
Abaixo, uma imagem do Google Earth com o percurso – mais ou menos – plotado. Clique para ampliar!

Anúncios

Publicado em 20/09/2010, em Bike Rally e marcado como , , , , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. Comentários desativados em Bike Rally da Independência.

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: