Quadros Vzan

Continuando nossa análise nas opções nacionais disponíveis em carbono, a bola da vez são os quadros Vzan. A empresa vende a linha Eagle, em fibra de carbono, para aros 26, 27,5 e 29. Os quadros tem estilo, são muito bonitos, realmente. Pena que não há várias opções de grafismos.

Para aros 26 é disponibilizada a segunda versão dos quadros em carbono da marca, denominada de Eagle 2, que, ficou 150 gramas mais leve que seu modelo anterior. A caixa de direção já possui o novo padrão “tapered” e o mesmo acompanha adaptador para suspensões normal de 1-1/8″. O diâmetro para canote de selim também mudou, agora no padrão 27.2mm.

Curiosamente, os quadros para aros 26 e 29 tem o mesmo peso nominal de 1.250g para o tamanho 17″, e compartilham as mesmas características básicas, como caixa de direção, cor, caixa do movimento central e padrão de câmbio dianteiro: os quadros são em apenas uma cor – Carbono/Branco/Vermelho, possui suportes de caramanhola e suportes para freios a disco do tipo post-mount com as guias para as mangueiras do freio integradas ao quadro. A caixa de direção, integrada 1-1/8 / 1.5 é fornecida no conjunto, como também a abraçadeira do canote (para canotes de 27.2mm na 26″ e 31.6 na 29″). O movimento central é de 68mm e o câmbio dianteiro deve ser de abraçadeira alta.

Os preços na loja da Vzan são R$ 3.820,00 para o 26″ e R$ 3.970,00 para o 29″.

Não temos ainda as especificações dos quadros 27,5. Entramos em contato com a Vzan, e assim que responderem acrescentaremos ao post.

Enquanto isso, veja aí a galeria:

Vamos lá, curta a página do DLAC no Facebook e concorra ao nosso próximo sorteio!

About these ads

Publicado em 20/11/2012, em Lançamentos e marcado como , , , , , . Adicione o link aos favoritos. 17 Comentários.

  1. Esses quadros são realmente lindos.
    Vc tem idéia do preço?

  2. Boa Noite,
    Desculpe minha ignorância, mas gostaria de pedir uma grande ajuda…
    Estou muito querendo comprar uma MTB. Não entendo nada sobre o assunto e estou com medo de adquirir uma que não seja ideal. Quero começar a fazer exercícios, pelo menos todos os dias. Não quero uma para andar somente em parque, mas uma que se eu a levasse para viajar, aguentaria pelo menos uma estrada de terra. Gostaria de encarar futuramente como esporte e algo favorável para a saúde. Tenho 1.65 de altura…
    Andei vendo algumas e me indicaram a T-Type/Caloi. O preço era bom, mas não li coisas muito boas sobre a mesma.
    Só tem um detalhe: Existe alguma MTB com o preço máximo de 1.000,00? Não quero já ‘dar de cara’ com uma mais cara que esse preço.
    Se sim, por favor me diga.
    Me desculpe por não saber nada sobre o assunto.
    Pode ter certeza que visitarei aqui mais vezes.
    Sucesso!

    Muito obrigada.

    Abraços.

  3. O que vcs acham do quadro Vzan PRO, ele pesa uns 2,170kg, mas ele é lindo, gostaria de saber a opinião de vcs se vale a pena comprar para uma bike iniciante, substituindo um quadro GT bastante usado, o valor fica em torno de 400 reais

    • Com certeza para uma bike iniciante com um quadro bem gasto é uma boa opção. O preço está bom. Só acho 2,1 meio pesado para um quadro, mesmo básico. Ao que nos consta, a garantia desse quadro é de apenas 6 meses, o que também achamos poucos, à parte a reconhecida qualidade dos produtos Vzan. Não sei se o peso é esse mesmo, mas os Mosso são bem mais leves.
      Curta a nossa FanPage e fique ligado nas novidades, ok? http://www.facebook.com/pages/Da-Lama-ao-Caos/333903203299235. Abraços!

  4. Perdoe-me pela demora… Fico muito agradecida pela atenção…
    Realmente é difícil comprar uma MTB com valor restrito, mas vou ver o que consigo…
    Qualquer coisa eu dou uma passadinha aqui, ok?

    Obrigada mais uma vez.

    Abraços.

    Fernanda

    • Sem problemas, Fernanda. Se quiser alguma opinião ou tiver alguma duvida é só escrever que ajudaremos!

    • Nilo Ezequiel Jr.

      Minha cara Fernanda, pelo amor de Deus nem invente de comprar a T-type da Caloi que é a maior roubada da vida. Quando pensava em começar a pedalar também era minha preferida pelo visual e tal. Depois de muito pesquisar e saber o que é uma MTB de verdade e também ver um amigo ter seu quadro quebrado por duas vezes, e olha que ele só usa para ir ao trabalho, desisti de fazer essa loucura. Ela não serve nem para um passeio na praça. Não é MTB. Caia fora. Das nacionais prefira as Soul ou as novas Caloi da linha Elite. Essas sim valem o preço.

  5. Estou lendo os capítulos do Giulliano. Realmente comprar uma MTB dá para contar uma história… Rsrsrsrs.

    Obrigada pela atenção.

    Abraços

    Fernanda

    • Eu mesmo relutei muito em investir mais. O fato é que para iniciar não é tão necessário, mas há que se buscar um mínimo de qualidade.
      Por outro lado, se o ciclista permanecer no esporte (ou seja, continuar ciclista, rs) a evolução e o investimento é natural.
      Meu primeiro post (minha primeira bike – http://dalamaaocaosbike.wordpress.com/2009/08/28/86/) é um relato de como fiquei pasmo com os preços de Bikes quando fui recomeçar a pedalar.
      Abraços, espero que sua procura dê certo!

  6. Olá Amigos, já fui proprietário de um quadro Vzan carbon, e o mesmo quebrou, 6 meses e 5 dias depois que eu comprei ele, a vzan nem me deu resposta muito menos o lojista sobre a garantia. Gostaria de saber que tipo de garantia que eles vão dar nestes quadros novos que estão vendendo….. Abraço

    • Olá, Fábio! Bem, fica o recado para a Vzan, mas que nos conste, a garantia do quadro é de 6 meses (que achamos, realmente, muito curta), o que, na letra fria da lei, acoberta a empresa.
      Pessoalmente, eu não ficaria satisfeito se acontecesse comigo – independentemente da reposição do quadro. Cremos que quadros, de carbono, alumínio, aço ou seja lá de que material for, com uso normal, devem durar anos, sem problemas e um quadro que dura apenas 6 meses não é confiável. Pode, porém, ter sido um caso isolado; sabemos que isso eventualmente acontece com marcas de grande renome.
      Entretanto, se você quiser, mande os detalhes do caso para o email do DLAC (dalamaaocaos2010@gmail.com) que tentaremos entrar em contato com eles.

      • Essas garantias de fabrica geralmente são dadas a partir de pesquisas e teste. A partir dos resultados, são feitos calculos estatisticos, dos quais serão considerados a maioria dos resultados favoraveis como o tempo correto de garantia. Ou seja, se tiver garantia de pouco tempo, no caso 6 meses, provavelmente terão problema ao redor desse tempo, caso dure mais, é sorte. O negócio é procurar quadros com garantia vitalicia. Já a fibra de carbono é de dificil construçao. Apesar do dominio que algumas empresas brasileiras ja tem, nao o é suficiente para construçoes complexas como bikes. Alem disso, fibra de carbono é necessario tomar cuidados, como limpeza sem produtos derivados de petroleo, assim como deixar exposto tal quadro a locais com altas temperaturas, mesmo debaixo de sol, o que afeta na estrutura das treliças de carbono assim como na resistencia do mesmo. Ps.: isso é de informaçao obtida por estudos proprios juntamente com alguns conhecimentos por mim adquiridos na UNIFEI. Qualquer informaçao errada me desculpe pelo erro porem acredito que estejam certos. Abraço.

        • Há alguns fabricantes chineses que fornecem quadros, digamos assim, genéricos (o que não quer dizer que sejam ruins), produzidos a partir de padrões de resistência e geometrias já testados e conhecidos pela industria, mas que não tem um trabalho de pesquisa e desenvolvimento especifico. Isso, aliado ao alto volume de produção, baixa incrivelmente o custo do produto final.
          Esses quadros são vendidos a fabricas – que eu chamaria de montadoras – ao redor do mundo, e equipam bikes de custo relativamente mais baixo.
          Não creio que haja um estudo de esforço ou teste de resistência para os mesmos. Isso encarece bastante o produto final. A garantia, na minha opinião, é estabelecida de maneira aleatória: acima dos três meses obrigatórios, mas não passando de um ano (ou a uma garantia vitalícia). Convenhamos que seis meses é pouco: quantas bikes você teve na vida cujo quadro quebrou? Parece simplesmente insegurança, e na minha opinião, péssimo marketing – não quer dizer que a maioria dos quadros vá trincar ou quebrar após 6 meses. Essas bikes são uma boa opção para quem não tem um orçamento muito elástico.
          O carbono é reconhecido como “o material” para quadros: não se imagina um atleta top 10 correndo com quadro de outro material. O problema, em quadros de procedência, é única e exclusivamente o preço.

  7. Gente, vocês viram esses quadros OEM de carbono que estão vendendo por aí ? Com pesos e preços baixíssimos. Agora eles vem com o nome das grandes marcas também – Trek, GIANT, SPZ, etc

    Aqui tem um [link editado pelo DLAC]

    Será que dá pra confiar?

    • Eu não compraria jamais.
      É um quadro genérico, sabe-se lá com que especificações, com certeza sem nenhum controle de qualidade, pintado com o nome de fabricantes de renome, que nunca darão qualquer garantia, pois é um produto falsificado. Lógico.
      Uns podem ser ótimos, outros um lixo, e este risco em mtb é um luxo ao qual não podemos nos dar ao luxo de correr.
      Equivale a perguntar a um corredor sério se ele compraria um Tenis “Mizuno” ou “Asics” de um oriental com uma sacola, por R$25,00, na porta de um banco.
      E com bike é mil vezes pior:
      Uma fratura num head tube num downhill a 70km/h pode ser fatal. Nunca arriscaria meu pescoço dessa forma.
      Registre-se que já existem, há tempos, canotes, mesas e guidons “Ritchey” e “FSA” em carbono vendidos no Ebay. Já vi dezenas deles quebrados.
      Já imaginou um canote quebrando e suas consequências? :-D
      Parece bacana, mesmo. Mas o preço e o vendedor denuncia o risco.
      Simplesmente não dá pra confiar, e o perigo envolvido é muito alto.
      Quando a gente compra um SPZ pelo triplo do preço está pagando pela credibilidade da marca, e em quadros e componentes de carbono isso é realmente crucial.
      Nem quer dizer que um S-Works não quebre – isso não existe – mas o controle de qualidade é muito rígido, a probabilidade de acontecer é minima e você tem a quem se queixar (ou processar) além do bispo.
      De qualquer jeito, fica aqui o agradecimento pelo aviso, que transformamos em alerta – ainda não tínhamos conhecimento desses quadros. Valeu!
      Fiquem longe disso, avisa o Da Lama ao Caos.
      Curta a nossa FanPage e fique ligado nas novidades, ok? http://www.facebook.com/pages/Da-Lama-ao-Caos/333903203299235. Abração!!!

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 469 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: